Após cobrar explicações de Deschamps, Benzema fica fora de convocação da França

Esportes

Após cobrar explicações de Deschamps, Benzema fica fora de convocação da França

Um dia depois de cobrar explicações por longa ausência na Seleção, atacante fica de fora mais uma vez. Benzema não veste a camisa da seleção francesa desde outubro de 2015

Redação Folha Vitória
Benzema cobrou a ausência na Seleção Francesa Foto: Reprodução/Instagram

Paris - Ainda não será desta vez que Karim Benzema fará o seu retorno à seleção francesa. Um dia depois de cobrar explicações ao técnico Didier Deschamps para a sua longa ausência do time nacional, o atacante do Real Madrid voltou a ficar fora de uma lista de convocados, anunciada nesta quinta-feira pelo treinador, que chamou 26 jogadores para os três próximos compromissos da França.

Estes atletas foram convocados para os amistosos contra Paraguai e Inglaterra, respectivamente nos dias 2 e 13 de junho, ambos em solo francês, e para o duelo contra a Suécia, no dia 9 do mesmo mês, em Estocolmo, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

Benzema não veste a camisa da seleção francesa desde outubro de 2015, quando marcou duas vezes na goleada por 4 a 0 sobre a Armênia. Em novembro daquele mesmo ano, porém, estourou um escândalo envolvendo o atacante, que foi acusado de extorquir o meio-campista Mathieu Valbuena, seu ex-colega de seleção, em um caso de vazamento de um vídeo íntimo em que o jogador do Lyon aparece.

Segundo a acusação, Benzema era cúmplice de pessoas que ameaçavam divulgar as imagens e teria incentivado Valbuena a pagar os chantagistas. Em entrevista ao jornal esportivo francês L'Equipe, publicada na última quarta-feira, o atacante disse que o seu compatriota mente em relação ao escândalo, disse que o mesmo "enlouqueceu" e pediu para que "pare de inventar histórias".

Independentemente de quem esteja falando a verdade, o fato é que o escândalo acabou sendo determinante para o longo afastamento de Benzema da seleção. Mesmo após o presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noel Le Graet, ter afirmado no ano passado que o jogador estava liberado para defender a equipe nacional, o atacante acabou ficando fora da lista de convocados para a Eurocopa de 2016, realizada na França, onde a seleção da casa conquistou o vice-campeonato.

E Benzema seguiu sendo descartado de novas convocações feitas no ano passado e também em 2017, embora esteja prestes a poder se sagrar novamente campeão europeu pelo Real Madrid e espanhol pela equipe merengue. Indignado com a ausência do time nacional, o atacante desafiou Deschamps a "olhar nos seus olhos" e explicar os reais motivos para continuar fora da seleção.

"Se o treinador me disser olhando nos olhos que o motivo é meu futebol, eu vou continuar trabalhando", disse o jogador ao L'Equipe na última quarta. "Se for outro motivo, ele deveria dizer isso na minha cara e aí estaremos entendidos", completou.

Nesta quinta-feira, porém, Deschamps se esquivou da polêmica ao explicar a nova ausência do astro de uma convocação e defendeu que elabora as suas listas garantindo que está levando em conta o desempenho esportivo dos jogadores. E Benzema ficou fora desta convocação mesmo depois de ter sido decisivo no recente clássico contra o Atlético de Madrid que levou o Real Madrid à final da Liga dos Campeões, na qual o time espanhol terá pela frente a Juventus, da Itália.

"Estou aqui para escolher jogadores para construir um plantel porque para mim o coletivo sempre está acima de qualquer outra coisa. Sempre faço escolhas da mesma forma, com o que considero ser bom para a seleção francesa. Sempre fiz coisas desta maneira e não vou mudar", disse o comandante, em entrevista coletiva, deixando no ar a impressão de que não vê Benzema como um "jogador de grupo".

Para completar, o treinador exaltou a campanha da seleção na última Eurocopa, mesmo sem contar com Benzema, apesar da derrota para Portugal na decisão. "A equipe da França foi construída antes da Euro, e se fortaleceu durante a competição, na qual alcançamos a final. Nós fomos um time competitivo e continuamos sendo durante as Eliminatórias (da Copa de 2018)", ressaltou, para em seguida finalizar: "Eu tenho uma seleção onde há um equilíbrio, uma harmonia, uma real dinâmica que criamos. Eu acreditei em jogadores que responderam em campo por meio de suas performances".

E chama a atenção o fato de que a lista anunciada nesta quinta-feira por Deschamps conta com nada menos do que oito atacantes, entre eles o jovem Kylian Mbappe, do Monaco, que aos 18 anos hoje é considerado o jogador ofensivo mais promissor para o ataque da seleção. Antoine Griezmann, do Atlético de Madrid, e Olivier Giroud, do Arsenal, foram outras estrelas entre os jogadores de frente chamados nesta quinta.

Confira os convocados da seleção francesa:

Goleiros - Alphonse Areola (Paris Saint-Germain), Benoit Costil (Rennes) e Hugo Lloris (Tottenham).

Defensores - Lucas Digne (Barcelona), Christophe Jallet (Lyon), Presnel Kimpembe (Paris Saint-Germain), Laurent Koscielny (Arsenal), Benjamin Mendy (Monaco), Djibril Sidibe (Monaco), Samuel Umtiti (Barcelona), Raphael Varane (Real Madrid) e Kurt Zouma (Chelsea).

Meio-campistas - N'Golo Kante (Chelsea), Blaise Matuidi (Paris Saint-Germain), Paul Pogba (Manchester United), Adrien Rabiot (Paris Saint-Germain), Moussa Sissoko (Tottenham) e Corentin Tolisso (Lyon).

Atacantes - Ousmane Demele (Borussia Dortmund), Olivier Giroud (Arsenal), Antoine Griezmann (Atlético de Madrid), Alexandre Lacazette (Lyon), Thomas Lemar (Monaco), Kylian Mbappe (Monaco), Dimitri Payet (Olympique de Marselha) e Florian Thauvin (Olympique de Marselha).