• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

De olho na estreia, seleção masculina de vôlei faz 1º treino na Sérvia

Esportes

De olho na estreia, seleção masculina de vôlei faz 1º treino na Sérvia

Poucas horas após desembarcar na Sérvia, a seleção brasileira masculina de vôlei já realizou o seu primeiro treino na cidade de Kraljevo, onde estreará na Liga das Nações na sexta-feira, contra a seleção da casa. A atividade leve serviu para ambientar a delegação após a viagem que partiu do Rio de Janeiro, na segunda.

"Desde o início tínhamos ciência que seria uma competição extremamente dura e até um pouco cruel na quantidade de viagens. Mas, de qualquer forma, vamos encarar isso da melhor maneira possível e, por isso, é sempre importante fazer um bom treino no dia da chegada aos locais para, no dia seguinte, já retomar a condição de treino coletivo e tático", explicou o técnico Renan Dal Zotto.

A preocupação do treinador se justifica pela falta de treinos da equipe em preparação para a competição que substitui a Liga Mundial. Em solo brasileiro, foi apenas uma semana de trabalhos, em que a seleção disputou e venceu dois amistosos com a China, em Taubaté.

Nesta quarta, o grupo retomará a preparação para o duelo de sexta, a partir das 15 horas (horário de Brasília), contra os sérvios. "Todo jogo é muito importante. Essa é uma competição equilibrada e temos que começar bem. E, como é um grande e longo campeonato, sabemos que o planejamento é tudo. É uma competição extensa e o primeiro grande objetivo é a classificação para a Fase Final", disse Renan.

Depois da Sérvia, os adversários serão a Itália e a Alemanha. "A Servia é um time que já conhecemos bem e sabemos que eles vêm mantendo uma base muito forte. A Itália é um tradicional conhecido, que conta com a volta do Zaytsev e do Juantorena, o que a torna um adversário ainda mais difícil de ser batido. E a Alemanha tem novos jogadores, é o time que conhecemos menos, mas que sabemos que vai ser duro", projetou Bruninho, levantador e capitão da seleção.