Em 1950, Brasil goleou na estreia em estádio inacabado

Esportes

Em 1950, Brasil goleou na estreia em estádio inacabado

São Paulo - A estreia do Brasil na Copa de 1950 também ocorreu em um estádio erguido especialmente para a competição. No Maracanã ainda inacabado, cuja obra durou 22 meses, a seleção comandada pelo técnico Flávio Costa conseguiu superar o nervosismo do primeiro jogo no Mundial e goleou o México por 4 a 0, com dois gols de Ademir de Menezes, que viria a ser o artilheiro da competição após marcar nove gols em seis confrontos.

Em campo, a base da seleção brasileira era composta por atletas do Vasco, campeão sul-americano em 1948 e carioca em 1945, 1947 e 1949, também treinado por Flávio Costa. Do time titular, o goleiro Barbosa, o zagueiro Augusto, os meias Ely e Danilo, além dos atacantes Maneca e Ademir, defendiam a equipe carioca. Na estreia da Copa, entretanto, Zizinho, do Bangu, maior nome da seleção, não pôde jogar devido a uma contusão - o craque estrearia apenas na terceira partida, contra a Iugoslávia.

O primeiro gol brasileiro na estreia, ocorrida no dia 24 de junho de 1950, foi marcado aos 30 minutos de jogo, após falha do goleiro mexicano Carbajal. Danilo lançou para a área, a bola sobrou para Baltazar, que deixou Ademir livre para empurrar para o gol. A primeira goleada do Brasil no Mundial virou realidade na etapa final. Aos 20, Danilo voltou a fazer boa jogada e serviu Jair. O camisa 10 da seleção bateu cruzado para marcar o segundo gol.

Seis minutos depois, Baltazar, exímio cabeceador, usou sua principal arma para ampliar a vantagem, ao subir entre os zagueiros do México. A 11 minutos do fim, Ademir marcou mais um depois de boa troca de passes entre Friaça, Danilo e Jair na entrada da área. Logo após o quarto gol, uma notícia ruim para Flávio Costa: Jair Rosa Pinto, craque do Palmeiras, acabou se machucando - o meia, como Zizinho, voltaria contra os iugoslavos.

A boa estreia deu tranquilidade à seleção. Com quatro mudanças no time, o Brasil tropeçou contra a Suíça no jogo disputado no Pacaembu, em São Paulo. O empate por 2 a 2 forçou o Brasil a bater a Iugoslávia no terceiro jogo para chegar à segunda fase. Com o time ideal, a equipe brasileira fez 2 a 0, com gols de Ademir e Zizinho.

PÚBLICO - A capacidade do Maracanã era de 155 mil pessoas na Copa de 1950. Na estreia, porém, "apenas" 81.649 torcedores assistiram à vitória do Brasil por 4 a 0 sobre os mexicanos. Apesar de o estádio estar concluído internamente, muita lama e obras inacabadas faziam parte do cenário do entorno. No primeiro jogo do Maracanã, uma semana antes, andaimes nas arquibancadas ainda seguravam a cobertura do estádio.

O público aumentou à medida que a seleção avançava na competição. No terceiro jogo da equipe brasileira no torneio, por exemplo, 142.429 espectadores foram ao estádio. No quadrangular final, a média foi mantida: a goleada por 7 a 1 sobre a Suécia foi vista por 138.886 espectadores. Contra a Espanha, em novo massacre (6 a 1), o estádio chegou a ser invadido pelos torcedores. O público oficial foi de 152.772. Na partida decisiva, 173.850 pessoas acompanharam a derrota brasileira por 2 a 1 para o Uruguai.