Frio de Teresópolis facilitará adaptação da seleção no Chile, diz preparador

Esportes

Frio de Teresópolis facilitará adaptação da seleção no Chile, diz preparador

Para o preparador, as baixas temperaturas podem até ajudar na Copa América, pois o clima em Teresópolis é semelhante ao que o grupo vai encontrar no Chile durante a competição

Redação Folha Vitória

Teresópolis - Os dois primeiros dias de atividades da seleção brasileira em Teresópolis foram sob o frio intenso da serra do interior do estado do Rio de Janeiro. Na terça-feira, por exemplo, quando os jogadores foram pela primeira vez ao campo, a temperatura chegou a atingir 10 graus Celsius, e boa parte do treinamento da tarde foi realizado debaixo de uma fina chuva. Mas o que pode parecer uma desvantagem é, na realidade, um fator favorável.

Essa é a visão do preparador físico da seleção, Fabio Mahseredjian, que também trabalha no Corinthians. Para ele, as baixas temperaturas podem até ajudar na Copa América, pois o clima em Teresópolis é semelhante ao que o grupo vai encontrar no Chile durante a competição.

"Isso (o frio intenso) ajuda. O complicado seria treinar numa situação fria como agora e jogar num clima diferente, sob alta temperatura", explicou Mahseredjian em entrevista coletiva realizada na Granja Comary.

Frio de Teresópolis facilitará adaptação da seleção no Chile Foto: Divulgação - Rafael Ribeiro/CBF

O preparador deu como exemplo a cidade de Temuco, onde o Brasil enfrentará o Peru em 14 de junho, na estreia na Copa América. "Temuco é muito úmida, chove que é uma barbaridade. É muito similar a Teresópolis e isso pode nos ajudar", comparou.

Nesta quarta-feira a perspectiva é de que a temperatura suba um pouco em Teresópolis, embora o dia deva ser nublado, com chuva esporádica. É isso o que prevê a meteorologia. A seleção voltará a treinar em dois períodos, pela manhã e à tarde.

Dunga deverá começar a montar a equipe para o amistoso de domingo, contra o México, no Allianz Parque, em São Paulo. Ele não terá a estrela da equipe, Neymar, e arranjar um substituto para o craque é uma de suas preocupações.

A outra é encontrar alguém para o lugar de Oscar, que sequer foi convocado para a Copa América. Philippe Coutinho, na teoria, tem mais chance, pois já está na Granja Comary enquanto Everton Ribeiro só chega nesta quinta-feira.

Na lateral-esquerda, com a contusão de Marcelo, Filipe Luis, titular preferido de Dunga, tornou-se ainda mais absoluto. E Diego Tardelli será o comandante de ataque.