• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Charles Corrêa e Anderson Oliveira se garantem na Olimpíada na canoagem slalom

Esportes

Charles Corrêa e Anderson Oliveira se garantem na Olimpíada na canoagem slalom

Ivrea - Charles Corrêa e Anderson Oliveira sempre foram os mais fortes concorrentes a representar o Brasil na prova de C2 (canoa para dois) da canoagem slalom nos Jogos Olímpicos do Rio. A confirmação da classificação deles aconteceu só nesta segunda-feira, após o encerramento da etapa de Ivrea, na Itália, que abriu a temporada 2016 da Copa do Mundo da modalidade.

O Brasil recebeu convite para cada uma das quatro provas olímpicas da canoagem slalom, cabendo à Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) fazer as indicações. A entidade criou uma seletiva nacional, realizada no canal olímpico de Deodoro, e vai usar também os resultados das três etapas da Copa do Mundo para definir os convocados.

No C2, Charles e Anderson só competiam contra Wellington Munhoz e Cassiano Alfredo, a quem venceram tanto em Deodoro quanto em Ivrea. Como essas duas primeiras provas valem mais do que as demais na seletiva, a vaga é dos dois canoístas de Piraju (SP). "Foi o nosso melhor resultado e melhor ainda que ele nos trouxe a vaga olímpica. Daqui pra frente vamos manter os treinamentos firmes", comentou Charles após o nono lugar na Itália.

Ele ainda foi 12.º colocado no C1, a dois postos de avançar à final, e empatou a seletiva contra Felipe Borges. O garoto de Foz do Iguaçu (PR) venceu em Deodoro, em abril, e parou na fase eliminatória em Ivrea. Caso Charles conquiste a vaga para ambas as provas, o Brasil não ganha uma credencial extra.

A partir dos mesmos critérios, mas com mais concorrentes, Pedro Gonçalves está praticamente classificado para o Rio-2016 no K1. Ele foi o melhor brasileiro em Ivrea, ficando em 20.º na semifinal. Agora Pepê só precisa ficar entre os três primeiros do País na etapa de La Seu d’Urgell, na Espanha, de sexta a domingo.

"Estou muito orgulhoso da minha prova, infelizmente uma penalidade de 2 segundos me tirou a possibilidade de estar brigando pelos 10 melhores que passavam para a grande final", destacou Pepê, também natural de Piraju. Ele já esteve nos Jogos Olímpicos de Londres.

No feminino, Ana Sátila nunca teve rivais e a CBCa sempre deixou claro que a vaga no K1 é dela. Em Ivrea, a atleta de Foz do Iguaçu liderou as eliminatórias, mas falhou na final e terminou apenas em nono. Ela comemorou ter feito a melhor descida de toda a competição.