Presidente do Corinthians diz que lutou contra torcida única no clássico

Esportes

Presidente do Corinthians diz que lutou contra torcida única no clássico

Redação Folha Vitória

São Paulo - O presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, afirmou nesta sexta-feira que lutou contra a decisão do Ministério Público de proibir torcidas visitantes em clássicos, medida que vale para a partida deste domingo contra o Palmeiras, no Allianz Parque, às 16 horas.

Em entrevista coletiva no CT, Roberto de Andrade disse que isso não resolve o problema da violência e revelou que, antes do clássico contra o Santos, torcedores do time da Vila fizeram uma emboscada e seis torcedores do Corinthians foram hospitalizados. Essa partida, disputada no dia 1º de junho, também teve torcida única e foi disputada no Itaquerão.

"Contra o Santos teve emboscada com a torcida do Corinthians e foram seis para o hospital. Fora do estádio é qualquer um. Dentro do estádio não tem problema nenhum, chegam por estações diferentes. (Torcida única) É medida prática, curta, que não vai resolver. Fizemos tudo para tentar reverter. Assim, o futebol caminha para o fim."

O dirigente afirmou que conversou com advogados e em instâncias do Judiciário, mas não obteve sucesso para que corintianos pudessem ir no estádio neste domingo. "Para o corintiano, não ir no estádio é a morte", afirmou. "Fizemos de tudo, mas vamos acatar a decisão."

O Ministério Público determinou que todos os clássicos em São Paulo tenham torcida única após briga generalizada em vários pontos da cidade no último clássico entre Palmeiras e Corinthians, disputado no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista.