• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Clubes que mais investiram no ano, Palmeiras e Atlético-MG buscam reação em duelo

Esportes

Clubes que mais investiram no ano, Palmeiras e Atlético-MG buscam reação em duelo

São Paulo - Dois times com elencos renomados, contratações de peso e folhas salariais altas se enfrentam neste domingo no Allianz Parque para começarem a reagir no Campeonato Brasileiro. Palmeiras e Atlético-MG entram em campo às 16 horas para tentar a partir da quarta rodada construir uma sequência de resultados condizente ao poderio dos clubes.

A proximidade da zona de rebaixamento e o início irregular compõem um panorama inusitado para os dois clubes responsáveis por contratarem juntos 40 jogadores nas duas últimas temporadas. Apenas o Palmeiras, gastou em reforços neste período cerca de R$ 100 milhões, com grande parte do montante viabilizado pela patrocinadora, a Crefisa.

O Atlético-MG, no entanto, arma elencos fortes com outro planejamento. Enquanto o adversário investe pesado em transferências, o clube monitora opções livres no mercado e lhes oferece salários elevados, como fez com Robinho e anos atrás com Ronaldinho Gaúcho. O meia chegou a ganhar cerca de R$ 900 mil em 2013 na época do título da Copa Libertadores, somados salários, direitos de imagem e bônus por metas.

Desde o começo de 2016, a equipe mineira trouxe 19 atletas. Segundo as previsões orçamentárias destes dois últimos anos, o valor em caixa disponível para contratações é bem inferior ao do Palmeiras: aproximadamente R$ 30 milhões para o biênio. O clube não gastou todo o valor.

Nesse mesmo período o Palmeiras contratou 21 reforços, dos quais 12 vieram neste ano. Por coincidência, as duas diretorias trouxeram meias venezuelanos, mas com operações bem diferentes. O alviverde gastou cerca de R$ 11 milhões com Guerra. O Atlético-MG trouxe por empréstimo de uma temporada Otero, do Huachipato, do Chile, com opção de compra.

Não por acaso, nesses dois últimos anos as duas equipes estiveram em alta nas principais competições nacionais, a Copa do Brasil e Brasileiro. O Palmeiras vem de títulos em 2015 em uma e 2016 na outra. Já o time de Belo Horizonte por pouco igualou o adversário ao ter sido vice em cada uma delas.

Os dois times compensam as campanhas irregulares no Brasileiro deste ano com bons momentos similares em outras competições. Na última quarta-feira, avançaram às quartas de final da Copa do Brasil e nas semanas anteriores confirmaram vaga nas oitavas da Copa Libertadores com retrospecto igual: primeiro lugar de seus respectivos grupos e 13 pontos ganhos.

"São duas equipes que não estão bem no Brasileiro, classificados nas outras competições e com grandes elencos. Vejo um jogo muito igual, duas equipes muito fortes. A gente tem a força do nosso torcedor na arena e isso pode ser o diferencial", disse o técnico Cuca.

DESFALQUES - O Palmeiras tem como dúvidas para o jogo as condições físicas do lateral Jean, do meia Guerra e do atacante Dudu. Todos apresentaram problemas depois da partida de quarta-feira. Fabiano, Raphael Veiga e Keno aparecem como os prováveis substitutos.

O Atlético-MG ainda não venceu no Brasileiro e tem somente um desfalque. Machucado, o lateral-direito Marcos Rocha dá lugar a Alex Silva.

ÚLTIMO ALGOZ - O Palmeiras testa neste domingo a sua força como mandante contra o último time que o derrotou no Allianz Parque. No último encontro entre as equipes, em julho do ano passado, o Atlético-MG ganhou por 1 a 0, pelo Brasileiro, e desde então os palmeirenses não perderam mais em casa.

O time alviverde tem agora uma série de 24 jogos de invencibilidade, com 19 vitórias e cinco empates. A sequência do Palmeiras está entre os dez maiores períodos da história do clube sem perder como mandante.

"Você conhecer seu habitat, ter a força da arquibancada, que é importantíssima, e se sentir em casa. Isso tem nos ajudado", disse o técnico Cuca sobre a série invicta.