Presidente da Uefa avisa que Europa pretende sediar Copa do Mundo de 2030

Esportes

Presidente da Uefa avisa que Europa pretende sediar Copa do Mundo de 2030

Depois da Copa da Rússia, em 2018, as próximas edições serão realizadas no Catar, em 2022, e provavelmente na América do Norte, em 2026

Redação Folha Vitória

As pretensões da China de sediar a Copa do Mundo de 2030 ganharam um sério concorrente nesta quinta-feira. Após reunião do comitê da Uefa em Cardiff, onde será disputada a final da Liga dos Campeões no sábado, o presidente da entidade, Aleksander Ceferin, afirmou que o continente merece receber um novo Mundial.

Depois da Copa da Rússia, em 2018, as próximas edições serão realizadas no Catar, em 2022, e provavelmente na América do Norte, em 2026. E, na avaliação de Ceferin, o Mundial de 2030 deveria ser novamente na Europa.

"Obviamente, deveria voltar para a Europa em 2030", declarou o presidente da Uefa nesta quinta-feira, ameaçando a propagada candidatura chinesa. "Então, lutaremos para que a Europa seja a sede."

A campanha chinesa é uma tentativa de desenvolver o esporte nacionalmente e conta, inclusive, com o forte apoio do presidente Xi Jinping, em uma tentativa de ampliar o poder do país asiático no futebol global.

A candidatura chinesa possui ainda um forte lobby para mudar as regras sobre a decisão das sedes. Como o Catar já será o realizador do Mundial de 2022, um país asiático só poderia ser novamente responsável pelo evento a partir de 2034.

Outro candidato para realizar a Copa de 2030 é a América do Sul. E com um importante apelo histórico: comemorar o centenário do primeiro Mundial, vencido e sediado pelo Uruguai. Nesse caso, o evento seria feito em parceria com a Argentina.