• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cueva perde seu terceiro pênalti em 2018, mas tem confiança de Gareca

FOLHA NA COPA

Esportes

Cueva perde seu terceiro pênalti em 2018, mas tem confiança de Gareca

A cada três cobranças do peruano pelo São Paulo, uma ele desperdiçou; após isolar penalidade contra a Dinamarca, Cueva tentará se redimir

Cueva é consolado por companheiros após perder pênalti contra a Dinamarca | Foto: Lance

Cueva teve em seus pés a oportunidade de fazer o primeiro gol do Peru em Copas do Mundo após 36 anos, mas o são-paulino isolou a cobrança que ele mesmo cavou, provocando o uso do VAR pelo árbitro Bakary Gassama, de Gâmbia. O vacilo do meia, no entanto, não foi o seu primeiro em 2018. Atuando pelo São Paulo foram dois desperdícios e uma média que não é das melhores com a camisa do clube.

No Tricolor, nas duas vezes em que Cueva errou um pênalti em 2018, somente comprometeu o resultado da partida em uma, contra o Ituano, pelo Paulistão, quando o placar apontava 2 a 1 para o adverário e o gol significaria o empate. Já na segunda oportunidade, contra o CRB, pela Copa do Brasil, o jogo estava empatado em 0 a 0, mas o São Paulo acabou vencendo por 2 a 0.

Desde 2016, o peruano cobra pênaltis com a camisa são-paulina. De lá para cá, a média não pode ser considerada muito boa. Isso porque Cueva teve oportunidade em 15 cobranças e desperdiçou cinco (uma em 2016, duas em 2017 e duas em 2018), ou seja, a cada três pênaltis, um ele erra. Em sua ausência, o cobrador da equipe de Diego Aguirre tem sido Nenê.

A cobrança desperdiçada nessas circunstâncias, contra a Dinamarca, em uma Copa do Mundo, parece ter abalado o meia, que foi para o vestiário consolado pelos companheiros de time, inclusive os do banco de reserva. Mesmo com o retrospecto não tão bom e o vacilo em jogo de tanto importância, o técnico Ricardo Gareca confia na recuperação de seu jogador.

- Era importante que ele continuasse concentrado na partida, que por si só já é carregada de erros, que necessitam ser revertidos. Ele tem personalidade suficiente para isso. Sempre tentou pedir a bola, teve participação em muitas jogadas. A única maneira é buscar superar esse momento, é preciso encarar esses problemas que acontecem nas partidas. Conhecendo ele, é um jogador forte emocionalmente - declarou o comandante em coletiva após o jogo.

O Peru volta a campo na próxima quinta-feira, às 12h, para enfrentar a França, em Ecaterimburgo. O confronto é válido pela segunda rodada do Grupo C da competição, que tem os franceses e os dinamarqueses como líderes, como três pontos cada.

* Com informações do Lance, via portal R7