• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Há cinco anos: Copa no Brasil começava com gol contra e protestos

Esportes

Há cinco anos: Copa no Brasil começava com gol contra e protestos

Marcelo mandou bola para as redes da seleção brasileira na partida de abertura no Itaquerão, enquanto manifestantes pediam escolas e hospitais

Foto: Divulgação

A partida foi Brasil x Croácia no Itaquerão, mas naquela quinta-feira, um exato 12 de junho, era como se fosse um confronto dos que acreditavam na ‘Copa das Copas’ contra os que pediam escolas e hospitais. Com 11 minutos de jogo, um gol contra foi tradução do restante daquele Mundial de 2014.

Passados os anos de euforia pela volta da Copa do Mundo ao que ainda era entendido como ‘a pátria de chuteiras’, os sucessivos atrasos nas obras — e, sobretudo, os indícios de corrupção – fizeram parte de um país se virar contra o torneio. O exigido padrão Fifa para os caros estádios eram pedidos em outras áreas, essas de maior carência.

Sob o comando de Luiz Felipe Scolari, aquele que do pentacampeonato e que em breve passaria a ser o do 7 a 1 contra a Alemanha, o time verde-amarelo teve um confronto pra lá de complicado contra a Croácia. Para piorar as coisas, Marcelo teve o azar de tentar desviar uma bolar e chutar contra o próprio gol. O cara de espanto seria pouco perto do que ainda estava por vir.

Ainda no primeiro tempo, aos 28 minutos, Neymar chutou mascado, de esquerda, mas viu a bola morrer no fundo do gol e empatar a partida. Aos 23 da etapa final, uma reinterpretação do ‘jeitinho brasileiro’ fez a partida ter outra cara. Fred caiu na área e o árbitro japonês Yuchi Nishimura marcou pênalti. Neymar venceu o desvio do goleiro Stipe Pletikosa para ampliar. Já nos acréscimos, Oscar deu um sentido disfarçado ao placar.

O 3 a 1 daquela partida de abertura transbordou autoestima em um time que já empolgado pelo título da Copa das Confederações. Mais do que isso, como próprio do futebol, o resultado inicialmente acalmou certos ânimos em protestos e manifestações. A sisudez dos cartazes foi trocada por festas nas ruas coloridas agora também por estrangeiros.

Cinco anos depois, o Brasil vive neste 12 de junho um novo namoro. Desta vez, com a Copa América. A paixão, agora continental, e não mundial, será realizada em cinco cidades: Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Sem a expectativa de novos gols-contra, a competição começa nesta sexta-feira (14), às 21h30, com Brasil x Bolívia, no Morumbi.



Com informações do Portal R7.com