'É inacreditável', diz italiano sobre apitar a final

Esportes

'É inacreditável', diz italiano sobre apitar a final

Redação Folha Vitória

Rio - O árbitro italiano Nicola Rizzoli mostrou imensa satisfação após ser escolhido pela Fifa para apitar a final da Copa do Mundo entre Alemanha e Argentina, no domingo, no Maracanã. "É inacreditável para mim. Eu represento a Itália neste momento. Quero ser um dois melhores, com certeza, e serei", declarou Rizzoli em uma entrevista divulgada pela Fifa nesta sexta-feira. Ele é o segundo italiano a apitar uma final nas últimas quatro Copas do Mundo. Pierluigi Collina dirigiu a vitória do Brasil sobre a Alemanha por 2 a 0, na final do Mundial de 2002, em Yokohama, no Japão.

Com um confronto entre uma equipe europeia e outra sul-americana, era esperado por alguns especialistas que a FIFA indicaria um juiz asiático para o duelo de domingo. Mas a entidade máxima do futebol mundial escolheu Rizzoli para apitar a decisão da 20ª Copa do Mundo. O supervisor da comissão de arbitragem da FIFA, Jim Boyce, disse nesta sexta, após a escolha, que confia plenamente no trabalho do italiano para a final. "Escolhemos os melhores árbitros para os melhores confrontos, e o italiano irá apitar a final", ressaltou Boyce.

Como chefe da comissão de arbitragem da Uefa, o italiano Collina tem sido um forte apoiador da carreira de seu compatriota. Rizzoli foi o árbitro da final alemã da Liga dos Campeões em 2013, quando o Bayern de Munique venceu o Borussia Dortmund por 2 a 1 em Londres.

Rizzoli já dirigiu três duelos nesta Copa do Mundo no Brasil. O primeiro foi a goleada da Holanda sobre a campeã mundial Espanha por 5 a 1, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O italiano apitou também as vitórias da Argentina sobre a Nigéria, 3 a 2, ainda na fase de grupos, no Beira-Rio, e sobre a Bélgica, 1 a 0, nas quartas de final, no Mané Garrincha, em Brasília.