Após boicote, Ferrer voltará a defender Espanha na Davis depois de quase 3 anos

Esportes

Após boicote, Ferrer voltará a defender Espanha na Davis depois de quase 3 anos

Tenista foi convocado para atuar pelo país diante da Rússia, entre os próximos dias 17 e 19, em Vladivostok, no confronto rumo aos playoffs do Grupo Mundial da competição

Redação Folha Vitória
Espanhol é o sétimo do mundo no ranking da ATP Foto: Estadão Conteúdo

Madri - Atual sétimo tenista do ranking mundial, David Ferrer voltará a defender a Espanha na Copa Davis após quase três anos de ausência. Ele foi convocado nesta terça-feira para atuar pelo país diante da Rússia, entre os próximos dias 17 e 19, em Vladivostok, no confronto em que seu país lutará para voltar aos playoffs do Grupo Mundial da competição.

Confirmada no último domingo como nova capitã da equipe espanhola na Davis, Conchita Martínez anunciou os convocados para encarar os russos fora de casa e deixou fora deste grupo Rafael Nadal, eliminado de forma surpreendente na segunda rodada de Wimbledon, na semana passada, em Londres.

Os outros convocados foram Pablo Andújar, Marc López e David Marreno, além do reserva Daniel Gimeno Traver. Ferrer, que não foi disputar esta edição de Wimbledon por causa de uma lesão, não representa o seu país na Davis desde o final de 2012. A ausência é fruto do boicote feito pelos principais tenistas espanhóis à gestão do ex-presidente da Real Federação Espanhola de Tênis (RFEF), José Luís Escañuela, e ao trabalho da ex-capitã do time nacional, Gala León.

O dirigente renunciou ao seu cargo, enquanto Gala foi demitida por Fernando Fernández Ladreda, novo presidente da RFEF, que agora tem o apoio dos tenistas do primeiro escalão. De volta ao time nacional na Davis, Ferrer não joga pela competição desde quando disputou a final da competição em 2012, contra a República Checa.

Sem seu principais astros, a Espanha foi derrotada pelo Brasil no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, no ano passado, e acabou rebaixada para o Zonal Euro-Africano I da Davis. E, embora atue fora de casa e sem Nadal, os espanhóis terão boa chance de bater a Rússia, que foi convocada sem nenhum dos seus tenistas do Top 100 para este confronto. O número 1 do país será Konstantin Kravchuck, atual 154º da ATP, e os outros serão Evgeny Donskoy (172º), Andrey Rublev (207º) e Karen Khachanov (217º).

GRUPO MUNDIAL - As convocações para os próximos confrontos do Grupo Mundial da Davis também foram feitas nesta terça-feira. Entre as grandes estrelas chamadas, destaque para Andy Murray, atual terceiro colocado do ranking mundial, que irá liderar a Grã-Bretanha no duelo diante dos Estados Unidos, pelas quartas de final, em Londres.

Já na convocação da Sérvia para o confronto diante da Argentina, em Buenos Aires, chamou a atenção a ausência de Novak Djokovic, líder do ranking mundial. O capitão Bogdan Obradovic optou por convocar Viktor Troicki, Dusan Lajovic, Janko Tipsarevic e Nenad Zimonjic para o duelo.