Ghislain perde de medalhista mundial e fica com bronze no florete

Esportes

Ghislain perde de medalhista mundial e fica com bronze no florete

Redação Folha Vitória

Toronto - Não foi em Toronto que o Brasil quebrou um tabu que já dura 44 anos e voltou a disputar uma final individual na esgrima dos Jogos Pan-Americanos. No Canadá, foram três oportunidades, nenhuma delas bem sucedida. Nesta quarta-feira, foi a vez de Ghislain Perrier, no florete, ser derrotado na semifinal e ficar com o bronze.

Ghislain nasceu em Fortaleza, mas foi adotado por um casal francês quando tinha um ano de idade. Diante da possibilidade de competir pelo país natal, resolveu mudar a cidadania esportiva em 2013, tornando-se um dos principais nomes da esgrima nacional, o primeiro a ganhar medalha em uma etapa de Copa do Mundo.

Em Toronto, acabou derrotado na semifinal por 15 a 12 pelo norte-americano Gerek Meinhardt, oitavo do mundo e medalhista de bronze no Campeonato Mundial, há apenas seis dias. O brasileiro garantiu o bronze porque, nas disputas individuais de esgrima, não existe jogo pelo terceiro lugar.

Na segunda-feira, o Brasil subiu pela primeira vez ao pódio na esgrima em Toronto com o bronze de Renzo Agresta, que, no sabre, venceu no caminho o vice-campeão mundial. Na terça, foi a vez de Nathalie Moellhausen terminar em terceiro, na espada.

Em Guadalajara, o Brasil também ganhou três medalhas, todas de bronze, mas duas delas vieram nas disputas por equipes, que começam apenas nesta quinta-feira. Como cada país tem apenas uma equipe, as chances de o Brasil ir ao pódio são maiores.

ELIMINADOS - No florete masculino, o Brasil também foi representado nesta quinta-feira por Guilherme Toldo, número 51 do ranking mundial, que foi eliminado por Massialas, melhor do mundo na atualidade. Ele volta a competir no sábado, por equipes, com Ghislain e Fernando Scavasin.

Entre as mulheres, a caçula Gabriela Cecchini, de apenas 18 anos, medalhista em Mundial Cadete, foi quem chegou mais longe. A gaúcha perdeu nas quartas de final, para Lee Kiefer, dos Estados Unidos, quarta do mundo. Já Bia Bulcão parou na canadense Kelleigh Ryan, nas oitavas de final. Por equipes, elas terão a companhia de Taís Rochel