• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Demitido, Jair culpa demora na chegada de reforços por resultados ruins do Santos

Esportes

Demitido, Jair culpa demora na chegada de reforços por resultados ruins do Santos

Terceiro colocado no Campeonato Brasileiro de 2017, o Santos perdeu alguns dos seus principais jogadores ao fim da temporada, como Ricardo Oliveira, que se transferiu ao Atlético Mineiro, e Lucas Lima, que foi ao Palmeiras

Demitido do comando do Santos nesta segunda-feira, Jair Ventura tentou adotar um tom de resignação ao comentar a sua saída do clube. Ele evitou criticar o presidente José Carlos Peres, mas também reclamou das mudanças que o elenco passou no início da temporada, usando esse "desmanche" como fator que dificultou o seu trabalho.

"Se você pegar o time do ano passado e comparar com o deste ano, teve jogo que eu tive só dois titulares do ano passado. Não foi uma perda durante a competição, mas de um ano para o outro. Foram 23 jogadores que saíram e chegaram só três", afirmou o treinador em entrevista ao SporTV.

Terceiro colocado no Campeonato Brasileiro de 2017, o Santos perdeu alguns dos seus principais jogadores ao fim da temporada, como Ricardo Oliveira, que se transferiu ao Atlético Mineiro, e Lucas Lima, que foi ao Palmeiras. Além disso, o lateral Zeca deixou o clube na reta final do torneio, tentando se desligar através da Justiça. Assim, o treinador, que chegou após bom trabalho no Botafogo, não teve grandes nomes à sua disposição.

Jair lembrou, também, que o Santos demorou a realizar contratações nesta temporada. Apenas Dodô, Gabriel Barbosa e Eduardo Sasha chegaram ao time no primeiro semestre, além de Romário, que já deixou a Vila Belmiro. E os estrangeiros Carlos Sánchez e Bryan Ruiz só foram anunciados nos últimos dias, ainda nem tendo estreado pelo time.

O treinador ressaltou que durante todo o período em que esteve à frente do Santos, buscou um substituto para Lucas Lima, mas não teve êxito na utilização de diferentes jogadores na função de camisa 10, como Vecchio, Jean Mota e Diogo Vitor.

"O Santos repôs a saída do Lucas Lima? Não. Repôs a perda do Ricardo Oliveira? Não. Esses dois foram responsáveis por 50% dos gols da equipe em 2017. A verdade é que a gente não tinha um jogador para municiar os atacantes", declarou o agora ex-treinador santista, demitido um dia após empate por 0 a 0 com a Chapecoense.

Sob o comando de Jair, que assumiu o time em janeiro, o Santos foi eliminado nas semifinais do Campeonato Paulista e ocupa apenas o 15º lugar no Brasileirão, mas está classificado às oitavas de final da Libertadores e às quartas da Copa do Brasil. Em 39 jogos, o time somou 14 vitórias, dez empates e 15 derrotas, mas, mesmo com esses números ruins, ele defendeu o seu trabalho.

"No Brasileiro não estávamos bem, mas alcançamos todos os nossos objetivos nos outros torneios. Nós nos classificamos na Libertadores, na Copa do Brasil, e há espaço para recuperação no Brasileiro. O Santos vai evoluir e não vai cair", assegurou o treinador, que deixou o time em 15º lugar no Brasileirão, apenas um ponto acima da zona de rebaixamento.

Jair, porém, evitou criticar Peres, avaliando que a pressão era grande para demiti-lo já há algum tempo. "Ele não conseguiu me segurar, não foi culpa do presidente, a pressão era grande", afirmou o treinador. "Quero agradecer ao Santos. Não tenho mágoa nenhuma", concluiu, exibindo certa resignação com a sua demissão.