• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Marcelo Oliveira minimiza derrota do Fluminense e já pensa na Sul-Americana

Esportes

Marcelo Oliveira minimiza derrota do Fluminense e já pensa na Sul-Americana

Sobre o duelo contra o Ceará, o técnico admitiu que seu time fez um mau primeiro tempo

Foto: Lucas Merçon/Reprodução Instagram

O técnico Marcelo Oliveira reconheceu que o Fluminense fez uma partida ruim na derrota para o Ceará por 1 a 0 no sábado, em Fortaleza, na abertura da 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Foi o primeiro tropeço do treinador no comando do time tricolor - até então ele vinha de duas vitórias e um empate.

"Não foi uma tarde feliz. O cansaço bateu forte também, mas seguimos firmes na caminhada. Sabemos que temos muitas coisas para ajustar. Assim como nas vitórias não nos empolgamos tanto, não podemos agora na derrota achar que está tudo errado. Vamos virar a chave para quinta-feira. Esperamos o apoio da torcida para fazer um belo jogo", disse o treinador.

Marcelo Oliveira já está de olho na partida contra o Defensor, no Maracanã, no jogo de ida da segunda fase da Copa sul-americana. "Sobre o adversário, já conhecemos um pouco, mas tem uma pessoa na comissão cuidando especificamente disso, de buscar informações. Nesse tipo de competição, temos que fazer o resultado em casa. A gente precisa se recuperar fisicamente e o ânimo também. A torcida tem que entender que é um novo momento, de ajustes, com novos jogadores chegando e vamos com todo entusiasmo para fazer um grande jogo", emendou.

Sobre o duelo contra o Ceará, o técnico admitiu que seu time fez um mau primeiro tempo, quando o Ceará conseguiu marcar o gol da vitória com Leandro Carvalho. Ele também citou um lance na etapa inicial em que Pedro chutou e a bola bateu na mão do zagueiro Luiz Otávio dentro da área. No entanto, evitou cobrar o árbitro.

"No primeiro tempo a gente não conseguiu marcar bem o Ceará ou criar situações. Teve um chute do Pedro no início, depois um outro e aquele lance que a bola teria pego na mão. De qualquer forma foi muito pouco. Fizemos uma cobrança natural, trocamos jogadores e tivemos um segundo tempo melhor. Embora também não tenha criado tanto, pelo menos não demos chances ao Ceará", analisou.

Na opinião dele, o Fluminense sentiu um pouco a sequência dos jogos após a retomada do Brasileirão. "Pode acabar tendo uma conotação de desculpa, mas foram quatro jogos em dez dias, com duas viagens para o nordeste. O Ceará jogou apenas na segunda-feira e nós fizemos um clássico nacional com o Palmeiras. Acho que ficou nítido que o Ceará estava melhor fisicamente", disse.

"O Marco Júnior não pôde jogar por cansaço, perna pesada, com possibilidade de lesão. O Junior Dutra que seguiria no jogo - eu tiraria o Norton - teve que sair também com a perna pesada, então são situações do futebol brasileiro que precisam ser revistas. Que terão muitos jogos, não tem jeito, mas precisamos nos programar para que um time não jogue mais vezes, no mesmo período de tempo, que o adversário", opinou.