Peter Sagan vence quinta etapa da Volta da França, mas Avermaet segue na ponta

Esportes

Peter Sagan vence quinta etapa da Volta da França, mas Avermaet segue na ponta

Redação Folha Vitória

O eslovaco Peter Sagan venceu nesta quarta-feira a quinta etapa da Volta da França, disputada entre Lorient e Quimper, no percurso de 204,5 quilômetros, marcado por subidas e descidas. Na véspera da disputa, o ciclista já havia dito que deveria ter mais sucesso nesta prova do que na do dia anterior, que tinha traçado mais plano, e que ele deixou escapar a vitória nos metros finais.

Sagan, três vezes campeão do mundo, chegou ao segundo triunfo nesta edição da competição e vestiu a camisa verde, dada ao líder da disputa por pontos. Mas na Volta da França, a camisa mais valiosa é a amarela, que fica com o ciclista que tem menos tempo no somatório das disputas. E ela continua com o belga Greg Van Avermaet, que terminou em sétimo lugar nesta quarta-feira.

O italiano Sonny Colbrelli terminou na segunda posição ao ter sido superado por Sagan em um sprint nos metros finais. O belga Philippe Gilbert fechou o pódio da quinta etapa também colado nos dois primeiros colocados. O espanhol Alejandro Valverde foi o quarto. O francês Julian Alaphilippe foi o quinto e o irlandês Daniel Martin terminou na sexta colocação.

"Tive um pouco de sorte porque o Colbrelli se aproximou, mas não teve tempo para me alcançar. Antes, o Gilbert se lançou ao ataque. Mas o sprint de Avermaet que vinha mais atrás no final chamou a atenção dele e acabou beneficiando a mim e ao Colbrelli", analisou Sagan. "Hoje estavam menos pontos em jogo do que o normal, acho que eram 30, mas é melhor que nada. Amanhã será outro dia", prosseguiu.

Foi a décima vitória de Sagan, de 28 anos, na Volta da frança, que o deixa entre os quatro ciclistas que mais venceram na competição. Ele só é superado pelo britânico Mark Cavendish (30) e pelos alemães Marcel Kittel (14) e André Greipel (11).

Van Avermaet, vestirá novamente a camisa amarela na disputa desta quinta-feira, que acontecerá entre Brest e o Muro da Bretanha, em um trajeto de 181 quilômetros. A prova passa a ter mais desníveis na segunda metade e tem uma subida elevada nos metros finais, o que deve favorecer novamente Sagan.