Ledecky bate mais um recorde, ganha 2º ouro e salva natação americana em Kazan

Esportes

Ledecky bate mais um recorde, ganha 2º ouro e salva natação americana em Kazan

Redação Folha Vitória

Kazan - Se o Mundial de Kazan (Rússia) expõe a crise vivida pela natação dos Estados Unidos, Katie Ledecky trata de manter seu país em evidência. Nesta terça-feira, a garota de apenas 18 anos voltou a bater o recorde mundial dos 1.500m (prova não olímpica para mulheres) para ganhar mais um ouro no Mundial.

Ledecky está promovendo uma nova era na prova mais longa da natação feminina. Até dois anos atrás, o recorde mundial era 15min42s54, da também norte-americana Kate Ziegler. Nesta terça, a adolescente baixou essa marca para 15min25s48, melhorando já em 17 segundos o recorde da geração anterior à dela. Foi a quinta vez que a garota bate tal recorde, agora com uma marca que a colocaria entre os 100 melhores do ranking mundial masculino.

Atualmente, Ledecky não tem adversárias nas provas de fundo da natação. É recordista mundial dos 400m, dos 800m e dos 1.500m. Nos 400m, ganhou o ouro em Kazan, domingo, com recorde do campeonato. Ainda vai nadar os 800m e o revezamento 4x200m.

Nesta terça-feira, meia hora depois do show nos 1.500m, a garota voltou à piscina para participar da semifinal dos 200m livre. Não repetiu a marca da manhã, quando foi a mais rápida das eliminatórias, mas se classificou para a final. Saiu da piscina e seguiu molhada mesmo para o pódio. Ela ainda vai tentar mais três medalhas de ouro, para completar cinco - levou quatro no Mundial passado, em Barcelona.

Já Manuella Lyrio não conseguiu repetiu o resultado da manhã. Fez o 15.º tempo (1min59s28) e ficou fora da final. De qualquer forma, mesmo que ela melhorasse o recorde sul-americano (1min58s03, feito no Pan), não seria suficiente para colocá-la na decisão do Mundial.

OUTRAS PROVAS - Exceto Ledecky, o fato é que a natação norte-americana vai mal no Mundial. Campeã olímpica nas duas provas de nado costas em Londres, Missy Franklin ficou só em quinto nos 100m costas. O pódio teve duas australianas: Emily Seebohm (ouro) e Madison Wilson (prata), além de Mie Oe Nilsen, da Dinamarca.

Já Ryan Lochte, outra estrela da natação norte-americana, ficou apenas no quarto lugar na final dos 200m livre. James Guy ganhou o ouro para a Grã-Bretanha, seguido de Yang Sun (China) e Paul Biedermann (Alemanha).

Campeão olímpico em 2012 e mundial em 2013, Mat Grevers pelo menos conseguiu um bronze nos 100m costas em Kazan. Mas ficou atrás do australiano Mitch Larkin (ouro com 52s40) e do francês Camille Lacourt (52s48). O americano completou em 52s66.