Pressionado no Cruzeiro, Luxemburgo diz aceitar críticas após eliminação

Esportes

Pressionado no Cruzeiro, Luxemburgo diz aceitar críticas após eliminação

Após a eliminação do time nas oitavas de final da Copa do Brasil, o treinador assumiu a responsabilidade pela queda da equipe, mas garantiu ter condições de ajudar o Cruzeiro

Redação Folha Vitória
Para Luxemburgo, a postura do time, que ao menos lutou e conseguiu marcar dois gols Foto: Estadão Conteúdo

Belo Horizonte - Pressionado pela torcida do Cruzeiro, que cobrou a sua saída durante a derrota por 3 a 2 para o Palmeiras, na noite de quarta-feira, no Mineirão, Vanderlei Luxemburgo garantiu aceitar as cobranças. Após a eliminação do time nas oitavas de final da Copa do Brasil, o treinador assumiu a responsabilidade pela queda da equipe, mas garantiu ter condições de ajudar o Cruzeiro a se recuperar no restante da temporada.

"Cobrança existe, e ela é correta. Mas eu já tenho um passado de trabalho. E a história te permite mudar. Você pode passar por isso e tem que aceitar as cobranças duras. Tenho que ter a tranquilidade para tocar o trabalho. A responsabilidade é minha. Entendo a insatisfação do torcedor, que vem de conquista de campeonato, quer que o time ganhe. Aí se cobra do treinador, dos jogadores. Temos que ter tranquilidade com as cobranças", disse.

Batido por 2 a 1 no jogo de ida, o Cruzeiro viu o Palmeiras abrir 3 a 0 em apenas 32 minutos no Mineirão. Para Luxemburgo, a postura do time, que ao menos lutou e conseguiu marcar dois gols, mostrou que o elenco está comprometido nesse momento difícil.

"O grupo está querendo. A gente está no futebol há muito tempo e sabe. Se o grupo fosse sacana, teria tomado cinco ou seis no segundo tempo. Existe o problema do futebol, e não dos jogadores ou do treinador. A nossa realidade é insatisfação plena. Estamos perdendo e temos que começar a reagir. Precisamos fazer mais ainda do que fizemos até agora", afirmou.

Luxemburgo evitou criticar a atuação do Cruzeiro, destacando a força do Palmeiras. Na avaliação do treinador, o time acabou sucumbindo por erros individuais e também pela expulsão do zagueiro Bruno Rodrigo ainda no primeiro tempo.

"Perdemos para um grande adversário, é bom deixar bem claro. Mais uma vez com um erro individual, o time estava bem posicionado. Saímos atrás no marcador, outra vez tivemos chance de não sair. Aí veio a expulsão e desarticulou tudo. No segundo tempo poderíamos até ter empatado. Tirando os erros individuais e a qualidade do Palmeiras, olhando com tranquilidade, a equipe não esteve tão mal", declarou.

Pressionado, o Cruzeiro agora volta as suas atenções para o Brasileirão. No próximo domingo, o time vai receber o Santos, no Mineirão, pela 21ª rodada.