• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

China consegue virada incrível e coloca o Brasil nas semifinais do Grand Prix

Esportes

China consegue virada incrível e coloca o Brasil nas semifinais do Grand Prix

Nanquim - A torcida da seleção brasileira pela China na rodada final do Grupo J do Grand Prix deu certo. Nesta sexta-feira, em Nanquim, a equipe anfitriã da fase decisiva do torneio superou a Holanda por 3 sets a 2, com parciais de 25/23, 23/25, 25/23, 20/25 e 18/16, classificando o time dirigido por José Roberto Guimarães às semifinais.

No Grupo J, o Brasil estreou com derrota para a China, por 3 a 0, mas depois superou a Holanda por 3 a 2. Assim, fechou a sua participação na chave com dois pontos e uma vitória, na segunda posição, atrás da seleção chinesa, que somou cinco, e à frente da Holanda, que também fez dois pontos, mas com duas derrotas.

Nas semifinais, neste sábado, a partir das 4 horas (de Brasília), o Brasil vai encarar a Sérvia, a primeira colocada do Grupo K. As sérvias asseguraram essa condição nesta sexta-feira, quando derrotaram a Itália por 3 sets a 1, com parciais de 25/18, 25/19, 16/25 e 27/25. Derrotada, a equipe será a rival das chinesas na busca pela vaga na decisão.

Nas mãos da China, a seleção brasileira esteve muito próxima de ser eliminada do Grand Prix nesta sexta-feira. Afinal, no tie-break, a Holanda chegou a liderar por 14/10, desperdiçando quatro match points. Depois, a equipe ainda teve outros dois, quando vencia por 15/14 e por 16/15. Nesses momentos, porém, brilhou Zhu Ting, que fechou o jogo com 33 pontos, sendo decisiva não só para o incrível triunfo chinês, como também para a classificação brasileira.

Brasil e Sérvia se enfrentaram duas vezes na fase de classificação do Grand Prix. A equipe brasileira perdeu por 3 a 0 em Ancara e deu o troco, pelo mesmo placar, em Sendai. Agora a seleção tentará "desempatar" o confronto para se classificar à final e seguir na defesa do título conquistado em 2016, o 11º do maior campeão da história do torneio de seleções femininas de vôlei.