Fora desde fiasco na Copa de 2014, Villa é convocado e voltará a defender Espanha

Esportes

Fora desde fiasco na Copa de 2014, Villa é convocado e voltará a defender Espanha

Redação Folha Vitória

Madri - O técnico da seleção espanhola, Julen Lopetegui, anunciou nesta sexta-feira os convocados para as próximas partidas das Eliminatórias Europeias da Copa do Mundo de 2018, diante de Itália, em 2 de setembro, no Santiago Bernabéu, em Madri, e Liechtenstein, fora de casa, três dias depois. As principais surpresas são o retorno de David Villa, aos 35 anos, e a ausência do brasileiro naturalizado espanhol Diego Costa.

Villa está atuando nos Estados Unidos desde 2014 e neste período também teve uma breve passagem pelo futebol australiano, no qual vestiu a camisa do Melbourne City por empréstimo. O veterano jogador do New York City FC é o maior artilheiro da seleção espanhola, com 59 gols em 97 jogos, e foi fundamental na campanha da única Copa do Mundo conquistada pelos espanhóis, em 2010, na África do Sul.

O atacante não defende a Espanha desde junho de 2014, quando o time nacional se despediu da Copa do Mundo realizada no Brasil com uma vitória por 3 a 0 sobre a Austrália, ainda pela fase de grupos. E naquele mesmo mês ele deixou o Atlético de Madrid para jogar no New York City FC, onde vem se destacando na Major League Soccer, o principal torneio de futebol dos Estados Unidos.

Por meio de uma publicação no Twitter, Villa comemorou a chance que terá de voltar a atuar pela Espanha após mais de três anos fora da equipe nacional. "Muito emocionado. Obrigado a todos que confiam em mim e me dão a oportunidade de colocar de novo esta camisa", afirmou o jogador por meio da rede social.

Ao justificar a convocação do veterano goleador, Lopetegui ressaltou que o jogador foi premiado pelo bom momento que vive no futebol dos Estados Unidos e também pela necessidade que a Espanha tem hoje de poder contar com um jogador ofensivo com as suas características. "Ele está fazendo magníficas atuações em seu time, mas acima disso o temos visto com a atitude e a mentalidade que precisamos para poder nos ajudar", afirmou, em entrevista coletiva.

Diego Costa, por sua vez, acabou pagando o preço por não estar atuando pelo seu time, o Chelsea, devido a um conflito com o técnico Antonio Conte. O treinador avisou ao atacante, por meio de uma mensagem de whatsapp antes do início desta temporada europeia, que não conta mais com ele. E, sem chegar a um acordo para se transferir a outro clube, o brasileiro naturalizado espanhol se recusa a treinar em separado dos companheiros em Londres.

A seleção espanhola está empatada em 16 pontos com a Itália do Grupo G das Eliminatórias Europeias, mas lidera a chave por possuir um melhor saldo de gols. Assim, este próximo confronto ganha ares de decisão, já que apenas os líderes de cada grupo do qualificatório do Velho Continente se classificam diretamente à Copa do Mundo. O segundo colocado disputará uma repescagem contra outra seleção do próprio continente que também terminar a fase de grupos como vice-líder. Em terceiro lugar deste Grupo G está a Albânia, com nove pontos e chances remotas de vaga no Mundial.

Confira a convocação da seleção espanhola:

Goleiros - Kepa Arrizabalaga (Athletic Bilbao), David De Gea (Manchester United) e Pepe Reina (Napoli).

Defensores - Jordi Alba (Barcelona), César Azpilicueta (Chelsea), Marc Bartra (Borussia Dortmund), Gerard Piqué (Barcelona), Dani Carvajal (Real Madrid), Nacho Fernández (Real Madrid), Sergio Ramos (Real Madrid) e Nacho Monreal (Arsenal).

Meio-campistas - Saúl Ñíguez (Atlético de Madrid), Koke Resurrección (Atlético de Madrid), Isco Alarcón (Real Madrid), Marco Asensio (Real Madrid), Thiago Alcantara (Bayern de Munique), Sergio Busquets (Barcelona), Andrés Iniesta (Barcelona), Gerard Deulofeu (Barcelona), David Silva (Manchester City), Suso Fernández (Milan) e Víctor Machín 'Vitolo' (Las Palmas).

Atacantes - Iago Aspas (Celta), Álvaro Morata (Chelsea), Pedro Rodríguez(Chelsea) e David Villa (New York City FC).