• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cielo não baixa tempo, mas leva ouro nos 50m livre

Esportes

Cielo não baixa tempo, mas leva ouro nos 50m livre

Guaratinguetá - Ainda não foi desta vez que Cesar Cielo conseguiu o melhor tempo da carreira nos 50 metros livre em piscina curta. No fim da tarde desta quarta-feira, em Guaratinguetá (SP), na final do Troféu José Finkel, o Campeonato Brasileiro de Inverno, ele venceu a prova com 20s72, um tempo quatro centésimos mais lento do que fez pela manhã, nas eliminatórias.

De qualquer forma, Cielo, que nada pelo Minas, teve enorme folga sobre o segundo colocado, seu colega de clube Ítalo Duarte. O garoto de 22 anos, quase um desconhecido, completou a prova em 21s42 e, por míseros dois centésimos, não tirou Bruno Fratus do Mundial de Piscina Curta, que vai acontecer em Doha (Catar), em dezembro.

Fratus, que ganhou o Pan-Pacífico, na semana passada, em piscina longa, na Austrália, fez 21s40 pela manhã e 21s46 à tarde, para ficar com o bronze. Nicholas Santos se aproximou deles e, com 21s49, terminou em quarto.

Cielo, de qualquer forma, lidera o ranking mundial com os 20s68 da manhã. Vale ressaltar, porém, que a temporada em piscina curta está apenas começando - o ranking praticamente só considera os campeonatos nacionais de Japão e África do Sul e a primeira etapa da Copa do Mundo.

OUTRAS PROVAS - Nos 50 metros livre para mulheres, uma surpresa. Etiene Medeiros, do Sesi, em ótima forma, bateu o recorde sul-americano, para 24s15. A atleta pernambucana é especialista nas provas de costas e, no Finkel, já bateu o recorde sul-americano nos 100m costas e conquistou o ouro nos 100m borboleta.

Ela, porém, não foi campeã do Finkel nos 50m livre porque o título ficou com a holandesa Frederike Heemske, do Minas. A segunda vaga no Mundial é de Larissa Oliveira, do Pinheiros, que completou em 24s11. Assim, deixou de fora a gaúcha Graciele Hermann, do Grêmio Náutico União, que havia feito o índice pela manhã e ficou fora do pódio.

Revelação da temporada, Thiago Simon venceu os 400m medley com 4min06s38 e se garantiu em mais uma prova em Doha. A prata na prova ficou com o garoto Brandonn Pierry, também do Corinthians, que já havia vencido os 1.500m metros na terça. Brandonn, que tem apenas 17 anos, ficou a dois segundos do índice.

Na prova feminina dos 400m medley, baixo nível técnico entre as brasileiras, tanto que o título ficou com uma equatoriana que nada pelo Fluminense, enquanto a prata foi para uma argentina do GNU. Gabriele Roncatto, do Pinheiros, foi a melhor do País, em terceiro.

Samantha Arévalos, na sequência, também deu o título dos 800m livre para o Fluminense, com a garota Carolina Bilich, do Minas, em segundo. Para fechar o dia, os revezamentos 4x200m do Pinheiros bateram os recordes sul-americanos tanto no masculino quanto no feminino - entre as mulheres, o Minas ganhou, mas contava com uma holandesa. O Sesi também bateu à frente, mas foi desclassificado.

MINAS NA FRENTE - Na classificação geral, o Minas manteve seu domínio, construído com o apoio de atletas estrangeiras, algo que seus principais rivais não têm. Na briga pelo segundo lugar, o Corinthians segue com pequena vantagem sobre o Pinheiros (864,5 x 818), enquanto a Unisanta abriu folga na disputa contra o Sesi pelo quarto lugar. Grêmio Náutico União e Fluminense completam o top sete.