Dunga elogia e afirma que Neymar gosta de desafios

Esportes

Dunga elogia e afirma que Neymar gosta de desafios

Satisfeito com o desempenho do atacante do Barcelona, Dunga lembrou que Neymar está longe do seu ápice, pois se recuperou recentemente de uma fratura na terceira vértebra lombar

Redação Folha Vitória
Neymar foi elogiado por Dunga Foto: Divulgação/CBF

New Jersey - Antes de iniciar efetivamente o seu novo trabalho no comando da seleção brasileira, o técnico Dunga afirmou que Neymar ainda não poderia ser chamado de "craque" por não contar com o "carimbo" de campeão mundial. Nem por isso, porém, o treinador deixa de reconhecer e apostar no talento do jogador do Barcelona, tanto que lhe deu a braçadeira de capitão para os amistosos com Colômbia e Equador e exaltou o desempenho do atacante após os triunfos por 1 a 0 nos amistosos disputados nos Estados Unidos.

"É altamente competitivo, quer vencer. Quando você comanda uma equipe ou o setor de um trabalho, precisa identificar em cada indivíduo a forma dele ser. Para alguns, quanto mais você colocar desafios, mais ele responde", afirmou Dunga, deixando claro que definir Neymar como seu capitão foi uma forma de dar mais responsabilidade e estímulo ao atacante.

Satisfeito com o desempenho do atacante do Barcelona, Dunga lembrou que Neymar está longe do seu ápice, pois se recuperou recentemente de uma fratura na terceira vértebra lombar e está apenas no início da temporada no Barcelona, mas mesmo assim se saiu bem nos amistosos. "Ele veio de pré-temporada, tinha se machucado e conseguiu jogar em várias posições", afirmou.

Após brilhar no amistoso contra a Colômbia com um belo gol de falta, Neymar perdeu chances claras diante do Equador, em New Jersey, mas voltou a ter participação decisiva no triunfo ao dar o passe para o gol marcado por Willian.

Depois das duas vitórias nos amistosos nos Estados Unidos, a seleção voltará a se reunir em outubro para compromissos na Ásia. A equipe enfrentará a Argentina, no dia 11 em Pequim, pelo Superclássico das Américas, e o Japão, no dia 14, em Cingapura.