Levir vê campeonato aberto e pede atenção ao Atlético-MG contra o Joinville

Esportes

Levir vê campeonato aberto e pede atenção ao Atlético-MG contra o Joinville

Preocupado em evitar que o time seja surpreendido, o treinador cobrou atenção e pediu clima de decisão no duelo deste domingo com o Joinville, no interior de Santa Catarina, pela 28ª rodada

Redação Folha Vitória
O técnico avalia que a disputa pelo título do Brasileirão está completamente aberta a 11 rodadas do fim Foto: ​Divulgação

Belo Horizonte - A possibilidade de ter facilidades na próxima rodada do Campeonato Brasileiro por enfrentar o lanterna da competição não passa pela cabeça do técnico Levir Culpi. Preocupado em evitar que o time seja surpreendido, o treinador cobrou atenção e pediu clima de decisão no duelo deste domingo com o Joinville, no interior de Santa Catarina, pela 28ª rodada.

"Penso assim, claro que é um sentido figurado, o que representa dizer que você tem que entrar muito concentrado em todos os jogos porque a pontuação é a mesma. Então, é isso, focar no próximo, que é o Joinville", disse o treinador atleticano, que aponta o nivelamento entre as equipes como fator que pode provocar resultados surpreendentes nas próximas rodadas do Brasileirão.

"Não vejo nenhum time ruim e nenhum muito superior no campeonato. Vejo nivelado e tudo pode acontecer nos jogos. Vamos ver o que vai acontecer, mas esperamos qualquer situação", completou Levir.

Até por isso, o técnico avalia que a disputa pelo título do Brasileirão está completamente aberta a 11 rodadas do fim. Nesse momento, o Corinthians é o líder, com 57 pontos e cinco de vantagem para o segundo colocado Atlético-MG. Mas Levir garante que não se surpreenderia se até outro time entrasse na briga para ser campeão na reta final do torneio.

"Continuo vendo o campeonato aberto, pode alguém disparar lá de trás. Isso é perfeitamente possível aqui no Brasil. Claro que Corinthians e Atlético são os dois times mais regulares. Tem uma lógica dentro disso, uma tendência maior para manter a regularidade", analisou.