Autoridades não acham acusado de operar esquema de propina do Rio-2016 em Miami

Esportes

Autoridades não acham acusado de operar esquema de propina do Rio-2016 em Miami

Redação Folha Vitória

Zurique - As autoridades dos Estados Unidos informaram aos procuradores brasileiros que ainda não localizaram o empresário brasileiro Arthur Soares, conhecido como "Rei Arthur" e peça central na operação de suposta compra de votos para de membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) para eleger o Rio como sede dos Jogos de 2016. Uma das hipóteses é de que ele teria fugido em um iate, a partir de Miami.

Arthur Soares é ex-proprietário do Grupo Facility, empresa que firmava contratos de prestação de serviços com o governo do Rio de Janeiro na época do governo de Sérgio Cabral. Nessa época, Facility somava contratos da ordem de R$ 3 bilhões.

A apuração do Ministério Público Financeiro de Paris levou a uma cooperação com o Ministério Público Federal do Brasil, a partir de maio. O trabalho acabou indicando que uma das empresas de Soares, a Matlock Capital Group teria sido responsável por transferir US$ 2 milhões (R$ 6,2 milhões, na cotação atual) para membros do COI. Eles teriam recebido o dinheiro às vésperas da escolha do Rio como sede dos Jogos de 2016, em outubro de 2009. A companhia tinha sede justamente em Miami.

À pedido do Brasil e da França, a Justiça norte-americana passou a buscar o suspeito. Procuradores brasileiros indicaram que ele voou de Lisboa para Pittsburgh no dia 24 de agosto e que poderia estar em Miami. Mas operações nos endereços de Soares não resultaram em sua prisão. Tampouco existe registro de embarque em aviões em seu nome. A suspeita é de que ele poderia ter deixado Miami à bordo de um barco.

As suspeitas indicam que Soares seria o pivô de um esquema de propinas pagos em troca dos votos dos delegados do COI em favor da candidatura do Rio. As empresas de Soares receberiam em retorno contratos com o governo do Estado.

Em Paris, o suspeito tampouco foi encontrado em sua residência. Ela foi objeto de uma operação de buscas e apreensão na manhã desta terça-feira, coordenada pelo Ministério Público Financeiro. A residência é situada na 18 Rue Boccador, no oitavo distrito da capital francesa, um dos endereços mais caros de Paris, ao lado da Avenida Montaigne, uma das mais chiques da cidade.