• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cilic vence e garante Croácia na elite da Davis; Shapovalov faz Canadá triunfar

Esportes

Cilic vence e garante Croácia na elite da Davis; Shapovalov faz Canadá triunfar

Bogotá - Tenista mais bem ranqueado do mundo a entrar em quadra neste final de semana em disputas válidas pela Copa Davis, Marin Cilic fez jus ao seu status neste domingo ao bater Santiago Giraldo por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 6/4 e 6/4, em Bogotá, e garantir a vitória da Croácia sobre a Colômbia no confronto válido pelos playoffs para o Grupo Mundial da competição.

Atual quinto colocado do ranking mundial, Cilic já havia vencido uma outra partida de simples deste embate entre os países na sexta-feira e mais uma atuando nas duplas no sábado. Agora, como franco favorito no saibro da quadra montada na Plaza de Toros La Santamaria, o croata liquidou a série melhor de cinco partidas em 3 a 1 para a sua nação, que garantiu o seu retorno à elite principal da Davis.

Atual vice-campeã da Davis, tendo sido derrotada na decisão de 2017 pela Argentina, a Croácia também viu Cilic fazer história ao se tornar o maior ganhador da história do país na competição, com 24 vitórias ao total, superando Ivan Ljubicic. Já a Colômbia seguiu no Zonal Americano da Davis e fracassou na sua tentativa de pela primeira vez subir à elite do torneio.

SHAPOVALOV - Uma das maiores revelações do tênis na atualidade, o jovem Denis Shapovalov voltou a exibir o seu talento neste domingo ao bater Ramkumar Ramanathan por 3 sets a 0, com 6/3, 7/6 (7/1) e 6/3, e fechar em 3 a 1 para o Canadá o confronto diante da Índia, em Edmonton (CAN), em outro duelo válido pelos playoffs do Grupo Mundial.

Surpreendente algoz de Rafael Nadal no último Masters 1000 de Cincinnati, Shapovalov já havia vencido a outra partida de simples que realizou neste embate com os indianos, na última sexta-feira, e agora assegurou o seu país na elite da Davis em 2018.

Essas foram as primeiras vitórias do garoto de 18 anos em uma Davis e ele acabou sendo decisivo para suprir a importante ausência de Milos Raonic, atual 11º colocado do ranking da ATP, que já havia ficado fora do último US Open por estar lesionado.

SUÍÇA BRILHA SEM ESTRELAS - Em outro duelo válido pelos playoffs para o Grupo Mundial, a Suíça fez bonito mesmo sem contar com seus principais tenistas, Roger Federer e Stan Wawrinka. Sem a dupla de estrelas, que não foi convocada para embate contra a Bielo-Rússia, na cidade suíça de Biel, o país reverteu uma desvantagem de 2 a 1 do adversário com duas vitórias em jogos de simples neste domingo para se garantir na elite.

Primeiro Henri Laaksonen deixou tudo igual para o time da casa ao bater Dzmitry Zhyrmont por 3 sets a 1, com 6/2, 6/2, 5/7 e 6/2. Pouco depois, Marco Chiudinelli garantiu o triunfo dos mandantes ao passar por Yaraslav Shyla por 6/4, 6/3 e 6/4.

Outro país que soube aproveitar o fator quadra para garantir o mesmo feito dos suíços foi a Holanda. Perdendo a série melhor de cinco confrontos com a República Checa por 2 a 1, a nação contou com Robin Haase superando Jiri Vesely por 3 a 1, com 6/1, 1/6, 6/3 e 6/4, e depois virou para 3 a 2 com Thiemo de Bakker derrotando Lukas Rosol, de virada, com 3/6, 6/4, 6/4 e 6/4.

A Hungria, por sua vez, encerrou o jejum de vitórias na história da Davis contra a Rússia, após seis derrotas em encontros anteriores pela competição, ao fechar em 3 a 1 a série que travou com o rival nestes playoffs da competição. Atuando em casa no saibro de Budapeste, o país liquidou o embate entre as nações com Marton Fucsovics derrotando Karen Khachanov por 7/5, 6/4 e 6/4.

Já a Alemanha frustrou o sonho de Portugal de ir à elite da Davis pela primeira vez ao triunfar na série encerrada neste domingo em Lisboa, também em quadra de saibro. Em vantagem de 2 a 1 após o duelo de duplas de sábado, os alemães liquidaram o confronto em 3 a 1 com Jan-Lennard Struff batendo João Sousa por 3 sets a 2, com 6/0, 6/7 (3/7), 3/6, 7/6 (8/6) e 6/4. Mais tarde, apenas para cumprir tabela, João Domingues superou Yannick Hanfmann por 6/3 e 7/6 (10/8), em jogo combinado em uma melhor de apenas três parciais, e reduziu para 3 a 2 a vantagem alemã.