• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'Um clássico pode te deixar marcado na história', afirma Jair Ventura

  • COMPARTILHE
Esportes

'Um clássico pode te deixar marcado na história', afirma Jair Ventura

O técnico Jair Ventura terá a dura missão de estrear no comando do Corinthians diante do arquirrival Palmeiras, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, com a necessidade de vencer para não se afastar da briga por uma vaga na Copa Libertadores. Apesar do momento delicado da equipe, o treinador prefere ver no clássico uma oportunidade de reviravolta.

"Clássico é sempre um campeonato à parte. A gente tenta tirar o peso do jogo. Não pode extrapolar. Não pode deixar adrenalina. A gente não fica pensando no último jogo. O clássico pode te deixar marcado na história", afirmou em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava, em São Paulo.

O último treinador que encarou esse desafio - estrear diante do Palmeiras - foi Tite, hoje na seleção brasileira. Em 24 de outubro de 2010, o Corinthians venceu por 1 a 0 no estádio do Pacaembu, em São Paulo, com gol do meia Bruno César. Foi o início da fase áurea do treinador, que chegou ao título mundial diante do Chelsea dois anos depois.

No primeiro treino como técnico do Corinthians, Jair Ventura indicou que vai escalar os titulares pelo Campeonato Brasileiro. O treinador fez poucas alterações no time que vinha sendo utilizado por Osmar Loss. O novo comandante, que terá contrato até dezembro de 2019, reuniu um grupo para uma conversa diante de um painel tático. A primeira escalação teve: Cássio; Mantuan, Léo Santos, Henrique e Douglas; Gabriel e Ralf, Romero, Jadson e Pedrinho (depois Clayson); Roger.

O treinador afirmou que o primeiro contato com o grupo, na tarde desta sexta-feira, foi bom. "A resposta do grupo já foi muito boa. Está todo mundo incomodado e isso é bom. Conversamos e todo mundo entende a situação", disse o treinador.

Jair Ventura tem 39 anos e iniciou a carreira no Botafogo em 2009, como auxiliar técnico de Ney Franco. Antes de ser efetivado, em agosto de 2016, trabalhou como preparador físico, técnico do sub-20 e treinador interino na equipe carioca. No ano passado, mesmo com um elenco limitado, conseguiu levar o Botafogo às quartas de final da Libertadores e à semifinal da Copa do Brasil.

No início desta temporada foi contratado pelo Santos, mas ficou menos de sete meses no clube. Chegou à semifinal do Paulistão, mas deixou o clube da Baixada Santista na 15.ª posição do Brasileirão.