• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'O Santos está indo contra seu ídolo', diz pai de Neymar sobre ação

Esportes

'O Santos está indo contra seu ídolo', diz pai de Neymar sobre ação

Santos - Em meio ao imbróglio que já vem se desenrolando pelos últimos meses, Neymar Silva Santos, pai e empresário de Neymar, declarou nesta quinta-feira que vai defender o filho no processo que o Santos encaminhou à Fifa pedindo indenização por eventuais irregularidades na transferência do jogador ao Barcelona.

"É difícil dizer algo sobre isso, porque nós (Neymar pai e as empresas) estamos excluídos desses processos. Sei das acusações porque sou representante dele. Vamos defender o Neymar. Se tiver que defender o Neymar contra o Santos, vamos defender. Pelo que vejo, o Santos quer ressarcir-se, mas está indo contra o ídolo. Fazer o quê?", afirmou o empresário em entrevista ao canal Fox Sports.

Em maio, o Santos decidiu enviar uma demanda arbitral à Fifa por eventual quebra de contrato na venda de Neymar ao Barcelona. O clube acusa Neymar de infringir o artigo 62 do Código Disciplinar da Fifa e cita também violações ao Regulamento de Status e Transferência de Jogadores da Fifa, relacionado à quebra de contrato. O artigo prevê compensações financeiras para o clube prejudicado - o Santos estaria pedindo 55 milhões de euros - e punição de seis meses para o jogador.

Por meio de uma nota divulgada nesta quinta-feira, o clube reafirmou o pedido de instauração de arbitragem, mas explicou que eventuais punições dependem da Fifa. O primeiro objetivo do clube é a indenização, e não a suspensão do jogador. "A apuração de eventual violação contratual e a imposição de respectivas consequências competem à Câmara de Resolução de Disputas da Fifa, de acordo com seu regulamento. O Santos FC não detém nenhuma forma de controle sobre a Fifa, que decidirá o caso", diz a nota do clube.

Wagner Ribeiro, empresário do jogador, rebateu a versão santista e declarou que há um documento de 2011, assinado pelo então presidente do clube, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, que autorizaria a negociação com outros clubes. "Quem vendeu foi o Santos. Quem colocou o Juninho (Neymar) no Barcelona foi o Santos e quem deu o documento autorizando ele a negociar com outros clubes foi o Santos", disse.