• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Brasil joga mal, mas arranca empate com desfalcada Argentina em Buenos Aires

Esportes

Brasil joga mal, mas arranca empate com desfalcada Argentina em Buenos Aires

Pelo lado esquerdo da defesa brasileira, Di María partiu para cima de Filipe Luís e David Luiz e, com apenas cinco minutos, já havia criado duas boas chances de abrir o placar

A partida foi duríssima para o Brasil. A Argentina começou o jogo em um ritmo alucinante Foto: ​R7

Buenos Aires - Nem com Neymar de volta após cumprir quatro jogos de suspensão, o Brasil soube tirar proveito dos cinco desfalques que a Argentina teve nesta sexta-feira no Monumental de Nuñez e não passou de um empate por 1 a 1. Com o resultado em Buenos Aires, a seleção continua sem vencer fora de casa nas Eliminatórias da Copa do Mundo. Em dois jogos, são uma derrota - na abertura caiu diante do Chile em Santiago - e um empate.

Passadas três rodadas, o Brasil soma quatro pontos, em quinto lugar nas Eliminatórias da Copa. O time volta a campo na terça-feira, quando recebe o Peru em Salvador, e não terá o zagueiro David Luiz, expulso no fim do jogo desta sexta-feira por jogada perigosa. Já a Argentina, ainda sem vencer após três jogos, acumula apenas dois pontos.

A partida foi duríssima para o Brasil. A Argentina começou o jogo em um ritmo alucinante. Pelo lado esquerdo da defesa brasileira, Di María partiu para cima de Filipe Luís e David Luiz e, com apenas cinco minutos, já havia criado duas boas chances de abrir o placar. Acuado, o Brasil mal conseguia passar do meio de campo.

Depois de dez minutos de muita pressão, a seleção conseguiu deixar o jogo um pouco mais equilibrado, mas não o suficiente para levar perigo à Argentina. Faltava principalmente presença de ataque à equipe. Bem marcado, Neymar se via obrigado a buscar o jogo muito atrás. Cercado por dois ou três defensores, o craque não conseguia se aproximar da área com a bola dominada.

Para piorar, Ricardo Oliveira praticamente não participava do jogo. O atacante ficou "encaixotado" entre os zagueiros e mal encostava na bola.

Outra novidade na escalação de Dunga, o meia Lucas Lima atuava muito mais como um defensor do que como armador das jogadas de ataque, função para qual foi colocado em campo na vaga de Oscar.

Como a Argentina não oferecia espaço para o contra-ataque, a seleção ficava sem alternativas. O Brasil era um time sem repertório. A equipe parecia jogar à espera de algum lance genial de Neymar capaz de desmontar a armada argentina.

Mas quem acabou fazendo uma jogada brilhante foi Di María. Aos 33 minutos, o argentino passou a bola entre as pernas de Lucas Lima e deu ótimo passe em profundidade para Higuaín nas costas da defesa brasileira. O atacante rolou para o meio da área e Lavezzi só teve o trabalho de empurrar para o gol.

Apesar da fraca atuação no primeiro tempo, Dunga não mexeu no time no intervalo. E o Brasil só não sofreu o segundo gol logo com um minuto porque foi salvo pela trave após o chute de Banega.

Com dez minutos, o treinador, então, resolveu dar mais velocidade ao ataque e trocou Ricardo Oliveira por Douglas Costa. O time melhorou e, três minutos depois, saiu o gol. Daniel Alves fez o cruzamento pela direita, Douglas Costa cabeceou na trave e, no rebote, Lucas Lima bateu de primeira para o fundo da rede.

O gol recolocou o Brasil no jogo. A entrada de Renato Augusto no lugar de Lucas Lima aos 18 minutos fez a seleção ganhar corpo no meio de campo. A Argentina, porém, continuava perigosa. Aos 32, por exemplo, Filipe Luís quase marcou contra depois do cruzamento de Rojo.

O Brasil passou aperto nos minutos finais. A situação ficou ainda mais delicada com a expulsão de David Luiz, que já tinha amarelo e depois deu uma entrada dura em Billa. Mas o time nacional conseguiu se segurar.

FICHA TÉCNICA

ARGENTINA 1 X 1 BRASIL

ARGENTINA - Sergio Romero; Roncaglia, Funes Mori, Otamendi e Marcos Rojo; Mascherano, Biglia e Banega (Lamela); Di María, Lavezzi (Gaitán) e Higuaín (Dybala).

Técnico: Gerardo Martino.

BRASIL - Alisson; Daniel Alves, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias, Lucas Lima (Renato Augusto) e Willian (Gil); Neymar e Ricardo Oliveira (Douglas Costa). Técnico: Dunga.

GOLS - Lavezzi, aos 33 minutos do primeiro tempo; Lucas Lima, aos 13 do segundo.

ÁRBITRO - Antonio Arias (PAR).

CARTÕES AMARELOS: Filipe Luis, Lucas Lima, Roncaglia, David Luiz e Mascherano.

CARTÃO VERMELHO: David Luiz.

PÚBLICO E RENDA - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires.