Ganso diz que continua no São Paulo, mas 'não fecha portas' para outros clubes

Esportes

Ganso diz que continua no São Paulo, mas 'não fecha portas' para outros clubes

Redação Folha Vitória

São Paulo - O meia Paulo Henrique Ganso disse nesta quinta-feira que continua no São Paulo para 2016, mas não descartou uma possível saída nos anos seguintes até mesmo para clubes brasileiros. O camisa 10 do time deve ser o principal jogador do elenco na próxima temporada, pois o goleiro Rogério Ceni deve se aposentar e os atacantes Alexandre Pato e Luis Fabiano devem sair.

"Eu continuo aqui, tenho contrato até 2017 e estou com a cabeça tranquila", disse Ganso. Em julho o meia recebeu uma proposta do Orlando City, dos Estados Unidos, em que desejava contratar o jogador para abater uma dívida com o São Paulo pelo empréstimo de Kaká. Meses antes, o Flamengo fez uma proposta pelo camisa 10, recusada pelo então presidente tricolor, Carlos Miguel Aidar.

O interesse de outras equipes fazem Ganso não descartar possíveis destinos. "Não dá para falar e fechar as portas para outros clubes. Nem aqui e nem em nenhum lugar do mundo", comentou. O meia disse que a permanência dele no São Paulo fica sob responsabilidade da decisão presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. "Se realmente chegar alguma proposta, vamos sentar com o nosso presidente, que agora é o Leco, e ele vai falar se precisa negociar ou se querem que eu fique. Não dá para falar agora".

Ganso afirmou que a diretoria vai montar um time mais forte para a próxima temporada e explicou que o clube já pensa mais em 2016 do que na atual temporada. "A gente fica chateado porque trabalhamos muito para conquistar títulos. A gente tem de pensar no próximo ano, trabalhar ainda mais para não deixar escapar o que escapou neste ano", disse.

No treino desta quinta-feira o elenco foi dividido entre titulares e reservas no coletivo. O time principal foi mantido e o destaque na atividade foi Luis Fabiano, autor de três gols. A equipe foi formada entre os jogadores de linha com: Bruno, Rodrigo Caio, Lucão e Reinaldo; Thiago Mendes, Wesley e Ganso; Michel Bastos, Alexandre Pato e Luis Fabiano.