• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Novato e Rooney fazem golaços e Inglaterra vence a França

Esportes

Novato e Rooney fazem golaços e Inglaterra vence a França

Londres - Com 11 anos de diferença, Wayne Rooney e Bamidele Alli são frutos de duas gerações muito diferentes do futebol inglês. Nesta terça-feira, os dois fizeram golaços para garantir a vitória da seleção da Inglaterra sobre a França, por 2 a 0, em Wembley, em amistoso marcado por homenagens às vítimas dos atentados terroristas em Paris.

Após um clima de amizade poucas vezes visto entre dois rivais históricos não só nos gramados, mas também nas relações internacionais, o amistoso desta terça-feira ocorreu sem animosidades. E a Inglaterra, jogando em casa, se saiu melhor.

Bamidele Alli, de 19 anos, que até o semestre passado jogava na terceira divisão inglesa, teve sua primeira oportunidade como titular e fez um lindo gol. O meia do Tottenham soltou um torpedo de longe, aos 39, e, com a ajuda de um leve desvio na zaga, mandou a bola no ângulo do goleiro Lloris, sem nenhuma chance de defesa.

Na segunda etapa, logo aos 3 minutos, Sterling cruzou da esquerda de Rooney pegou a bola no ar, de voleio, para fazer também um lindo gol. O veterano de 30 anos não vem bem pelo Manchester United mas marcou em quatro dos últimos cinco jogos da seleção.

HOMENAGENS - Antes da partida, a 'marselhesa', como é chamado o hino francês, foi cantada em plenos pulmões pela torcida inglesa como parte da bonita homenagem feita em Wembley antes do amistoso entre as duas seleções de futebol.

À pedido da torcida inglesa, a Federação Inglesa de Futebol (FA, na sigla em inglês) passou a letra do hino francês nos telões de estádio, para que pudessem ser cantados pelos ingleses. Também um mosaico com a bandeira da França foi montado atrás de um dos gols.

O príncipe William, segundo do linha sucessória da rainha Elizabeth II, entrou em campo antes da partida com uma coroa de flores, em memória às pessoas mortas no atentado. Também o primeiro-ministro britânico, David Cameron, fez o mesmo.

Após a execução dos hinos, os jogadores se reuniram ao redor do círculo central, intercalados entre franceses e ingleses, e respeitaram um minuto de silencio. Um dos mais emocionados era o francês Lassana Diarra, que perdeu uma prima nos atentados.

Pelo Twitter, a Federação Francesa agradeceu "à FA, à Inglaterra e o povo da Inglaterra", ajudando a promover a hashtag #NousSommesUnis (nós somos unidos), também publicada pelo perfil da seleção inglesa.

Na sexta-feira, um dos ataques terroristas em Paris foi contra o Stade de France, onde a França jogava amistoso contra a Alemanha. De dentro do estádio pôde-se ouvir os estouros dos homens bomba, mas o jogo não foi paralisado. Só depois do apito final é que informou-se o ocorrido, com o gramado sendo liberado para que os torcedores não entrassem em pânico.

Os terroristas não chegaram a entrar no Stade de France e por isso o dano causado pelo ataque foi muito inferior ao potencial. Morreram os três homens-bomba e um torcedor. Os outros ataques reivindicados pelo Estados Islâmico, entretanto, causaram 129 mortes.

Por suspeitas de bombas, outros dois amistosos importantes previstos para esta terça-feira foram cancelados. O anúncio de que Bélgica x Espanha, em Bruxelas, não seria realizado, aconteceu já na noite de segunda. Na capital belga estaria o suspeito de ser o mentor dos atentados.

Já nesta terça-feira, pouco antes de Alemanha x Holanda, em Hannover, o estádio foi evacuado. Ainda não há informações claras sobre o motivo do cancelamento da partida.