Fred pode entrar para seleto grupo de artilheiros em 3 edições do Brasileirão

Esportes

Fred pode entrar para seleto grupo de artilheiros em 3 edições do Brasileirão

Redação Folha Vitória

São Paulo - Lágrimas, lamentações, revolta... Torcedores deixavam o estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, naquele inesquecível dia 8 de julho de 2014, após o maior vexame da história da seleção brasileira, buscando explicações para os 7 a 1 em favor da Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo. Alguns, bastante exaltados, erguiam cones de trânsito sobre as suas cabeças e gritavam que eles eram mais eficientes do que Fred, camisa 9 da equipe dirigida pelo técnico Luiz Felipe Scolari. Execrado pelo desempenho no Mundial, dois anos depois, o atacante do Atlético Mineiro está próximo de entrar para um seleto grupo de artilheiros.

Com 13 gols no Campeonato Brasileiro, Fred briga para ser o goleador máximo da competição pela terceira vez na carreira - foi em 2012 e 2014 - e igualar façanha de Dadá Maravilha (1971, 1972 e 1976), Túlio (1989, 1994 e 1995) e Romário (2000, 2001 e 2005), sendo que o "Baixinho" tem um asterisco na primeira conquista. Ele foi artilheiro da Copa João Havelange ao lado de Magno Alves e Dill apenas em jogos disputados pelo Módulo Azul, com 20 gols. Com 22, Adhemar, do São Caetano, que participou do Módulo Amarelo, foi o geral.

A tarefa não será fácil. A concorrência é pesada. Diego Souza, do Sport, tem os mesmos 13 gols de Fred. Robinho, companheiro de Atlético, Gabriel Jesus, do Palmeiras, e William Pottker, da Ponte Preta, marcaram 12 vezes. Mais atrás na briga pela artilharia está Sassá, do Botafogo, com 11.

A boa notícia para Fred nesta disputa é que ele estará em campo nos últimos três jogos do Atlético no Brasileirão. Apesar de o time mineiro não ter mais chance de título e destinar forças para os confrontos contra o Grêmio pela final da Copa do Brasil, o atacante não pode atuar no torneio porque já defendeu o Fluminense e, por isso, será o único titular na partida deste domingo contra o Santa Cruz, no Recife.

Para Dadá Maravilha, Fred será bem-vindo no seleto grupo de goleadores. "Sou fã do Fred. Sempre costumo repetir o que os torcedores cantam nos estádios: 'o Fred vai te pegar’ porque vai mesmo. Ele merece. Estou torcendo para o trio virar quarteto", comentou o ex-centroavante, que vê o feito como uma resposta aos críticos pelo desempenho na Copa de 2014. "O Fred foi sabotado naquela seleção do 7 a 1. Não vou dar os nomes, mas só davam bola dividida para ele, foi bastante complicado. Essa é uma razão maior para ele ser artilheiro".

O tricampeonato da artilharia pode ser consumado pelo Atlético, mas a caminhada começou no Fluminense. Os dois primeiros gols dos 13 de Fred até aqui foram anotados pela equipe tricolor. O atacante marcou logo na estreia, na vitória por 1 a 0, sobre o América-MG e depois na quarta rodada, em novo triunfo por 1 a 0, desta vez no clássico contra o Botafogo.

Antes de disputar o sétimo jogo pelo Fluminense, o que iria inviabilizar uma transferência pelo regulamento do Brasileirão, Fred acertou com o Atlético. Pela equipe mineira, foram mais 11 gols em 26 jogos. Com uma relação de amor com os torcedores atleticanos desde o jogo de estreia, o atacante admite que ser artilheiro pelo clube será diferente dos feitos pelo Fluminense.

"Já que o objetivo principal, que era o título, não pôde ser alcançado, acredito que essa artilharia teria um gosto especial em relação às outras que já conquistei pelo fato de ser logo no meu primeiro ano vestindo a camisa do Galo", afirmou.

Para o técnico do Atlético, Marcelo Oliveira, não é surpresa o atacante estar brigando pelo posto de goleador. "Fred é um centroavante muito eficiente. Ali, dentro da área, ele sabe muito bem o que fazer, e não é nenhuma surpresa ver que ele está, mais uma vez, brigando pela artilharia do campeonato. Sua eficácia e precisão o transformam em um jogador de muito destaque", elogiou.

O treinador destacou ainda o comportamento de Fred no elenco. "Ele possui uma grande liderança, fator extremamente positivo, pois acrescenta muito durante uma partida, principalmente quando se tem garotos da base no time. Conseguimos equilibrar experiência e juventude e explorar o melhor de cada um", comentou Marcelo Oliveira, lembrando Robinho e Pratto. "É um privilégio ter à disposição um ataque tão eficiente como este do Atlético".

Robinho, aliás, promete ajudar Fred se tiver chance. O atacante não enfrenta o Santa Cruz e, muito provavelmente, não pega o São Paulo na rodada seguinte por causa da final da Copa do Brasil. Ele só deve entrar em campo na última rodada, quando o Atlético encara a Chapecoense. "Tenho feito gols, mas não sou tão artilheiro quanto o Fred. Se ele tiver melhor colocado, vou servi-lo para que ele possa fazer gols".