Odílio faz balanço positivo e prevê sucesso de Damião

Esportes

Odílio faz balanço positivo e prevê sucesso de Damião

Redação Folha Vitória

Santos - Odílio Rodrigues Filho disse nesta terça-feira que a sua administração foi a mais vitoriosa da história do Santos depois da Era Pelé e que Leandro Damião ainda vai justificar a contratação e dar alegrias ao torcedor santista. O dirigente concedeu a sua última entrevista coletiva de imprensa como presidente do Santos no auditório do hotel Recanto dos Alvinegros, anexo ao CT Rei Pelé. Neste sábado, o clube terá eleição para presidente e até 1.º de janeiro de 2015, quando assume o vencedor, provavelmente a administração será compartilhada para que os assuntos pendentes sejam resolvidos.

"Conquistamos seis importantes títulos no futebol profissional, entre eles a inédita Copa do Brasil e a terceira Libertadores. Avançamos em muitos aspectos: na democracia, transparência, profissionalização, responsabilidade social e gestão corporativa. Quadruplicamos o número de associados, passando de 15 mil para 60 mil, e mais que dobramos as receitas anuais, pulando de R$ 70 milhões para R$ 190 milhões anuais", discursou.

Ao responder sobre a contestada contratação de Leandro Damião por R$ 42 milhões, com recursos do fundo de investimentos Doyen Sports, Odílio não demonstrou arrependimento. "O Santos tem três anos para pagar e até lá vai dar certo e provar que a sua contratação foi acertada. Leandro Damião é uma pessoa excelente no ponto de vista de grupo e percebemos que ele vai ganhar outra condição, fazer gols e dar muitas alegrias à torcida santista".

A respeito da dívida do clube, Odílio disse que fica preocupado ao ouvir candidatos a presidente falar que é de R$ 400 milhões. "A dívida do Santos, sem o Timemania, é de R$ 87,3 milhões. Alguém que quer ser presidente do clube não pode deixar de saber a diferença entre dívida e endividamento. A dívida do Santos era de R$ 87,3 milhões e restam R$ 31,7 milhões, isso até 31 de setembro (quando fechou o trimestre), a dívida da atual administração é de R$ 45 milhões".

Para o dirigente, após o círculo virtuoso, entre 2010 e 2012, o futebol do Santos passa por um período de transformação. "Os três primeiros anos foram de grandes conquistas. Mas como o futebol é cíclico, nenhum time consegue se manter mais de dois anos só ganhando. Ficamos três e agora passamos por um período de reformulação".