• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Chapecoense agradece Coritiba por homenagem que lotou o Couto Pereira

Esportes

Chapecoense agradece Coritiba por homenagem que lotou o Couto Pereira

Nesta quinta-feira, através de um comunicado publicado nas suas redes sociais, a direção da Chapecoense agradeceu a manifestação de solidariedade

O Couto Pereira ficou lotado por torcedores do Coritiba e dos seus rivais Atlético-PR e Paraná Foto: Reprodução/Instagram

Chapecó - A homenagem realizada pelo Coritiba e por torcedores dos clubes paranaenses na última quarta-feira, no Couto Pereira, às 71 vítimas do acidente com o avião que levava a Chapecoense para o jogo de ida da decisão da Copa Sul-Americana, na semana passada, comoveu o time catarinense. Nesta quinta, através de um comunicado publicado nas suas redes sociais, a direção da Chapecoense agradeceu a manifestação de solidariedade.

"Obrigado, Coritiba, pela iniciativa de homenagear o time que uniu todas as bandeiras e cores em uma só torcida. Obrigado, Curitiba e região, Clube Atlético Paranaense e Paraná Clube por terem lotado o Couto Pereira, nos fazendo sentir o carinho e emoção que receberíamos ao jogar a nossa partida mais importante nesse que já foi palco de tantas decisões. Nossa eterna gratidão", escreveu o time de Santa Catarina.

A cerimônia ocorreu no local, dia e horário em que seria disputado o segundo jogo da decisão da Sul-Americana - a Arena Condá não possui a capacidade exigida pela Conmebol para a final, o que levou a Chapecoense a agendar o duelo para o Couto Pereira.

Na última quarta, então, o Couto Pereira ficou lotado por torcedores do Coritiba e dos seus rivais Atlético-PR e Paraná. Aos gritos de "É campeão" e "vamos, vamos, Chape", o estádio, com mais de 30 mil torcedores de todos os times de futebol, reviveu em forma de homenagem, o que seria o jogo da final da Sul-Americana entre a Chapecoense e o Atlético Nacional.

No horário previsto para o início da partida, às 21h45, crianças uniformizadas entraram em campo e simbolizaram um pontapé inicial, enquanto que em um telão apareciam as imagens e nomes das vítimas. Ao mesmo tempo, balões foram soltos ao ar e 71 tiros de morteiros fizeram as homenagens para cada uma delas.

A cerimônia contou com um culto ecumênico com representantes da igreja Evangélica, com o pastor Antônio Porto Alegre, e Católica, com o padre João Maria. Além deles, o padre Leonardo, da Colômbia, também prestou suas homenagens.