Após fazer história no Corinthians com títulos, turco Kazim pode ser negociado

Esportes

Após fazer história no Corinthians com títulos, turco Kazim pode ser negociado

Bem humorado, até certo ponto folclórico, o inglês naturalizado turco entrou para a história por ser o primeiro jogador europeu a conquistar um título pelo clube paulista

São Paulo - Kazim é apenas o 15.º jogador com mais atuações do Corinthians nesta temporada (30 jogos), fez apenas três gols, mas terminou a temporada como um dos atletas mais comentados entre os torcedores. Bem humorado, até certo ponto folclórico, o inglês naturalizado turco entrou para a história por ser o primeiro jogador europeu a conquistar um título pelo clube paulista. Entretanto, pode deixar a equipe.

A contratação de Júnior Dutra e a possibilidade também da chegada do colombiano Santiago Tréllez fazem com que as chances de Kazim ser aproveitado como centroavante do Corinthians em 2018 diminuam bastante. A ideia da comissão técnica é utilizar o jogador como uma possível moeda de troca em futuras negociações. O turco tem contrato até dezembro do ano que vem.

Enquanto aguarda para saber o seu destino, o atacante festeja o fato de ter entrado para a história do Corinthians. "Fico feliz por viver esse momento, que vai ficar para a história. Quando um outro europeu chegar aqui, vão lembrar que o 'Gringo da Favela' foi o primeiro a ganhar título e foram dois. Isso que ficou marcado e estou feliz por estar na história do Corinthians", disse o turco, que foi o substituto imediato de Jô na temporada.

Contando jogos oficiais, Kazim fez 28 partidas na temporada, sendo 10 como titular e 18 saindo do banco de reservas. Marcou dois gols (um no Campeonato Paulista e outro no Campeonato Brasileiro). Números que, ele admite, decepcionaram. A boa fase de Jô foi o principal motivo para ele não ter jogado tanto.

Apesar dos números pouco expressivos, Kazim teve certa importância na conquista do Brasileirão, pois foi dele o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Avaí, resultado que evitou a aproximação dos concorrentes na luta pelo título. "É meu trabalho fazer gols. Não consegui fazer muita coisa por causa da falta de ritmo de jogo. Quando entrei, joguei pouco tempo e agradeço a torcida pelo apoio", disse o atacante de 31 anos.

Um fato curioso é que Kazim jogou com Didier Drogba no Galatasaray, na Turquia, em 2013, e desse convívio teve início uma amizade. O astro da Costa do Marfim protagonizou no início do ano uma longa novela que foi a sua negociação com o Corinthians, não concretizada. O turco afirmou não ter conversado com ele sobre a situação, mas, esbanjando sinceridade, disse ter ficado feliz pelo fato dele não ter sido contratado.

"Quando o Corinthians quis contratar o Drogba, era um problema não só para o Jô como para mim, mas ele não quis vir. Melhor para nós. Jô fez muitos gols e esqueceram do Drogba, que é meu amigo, mas não quis vir. Então problema dele. Acabou", resumiu.