Brasil perde disputa por bronze na Copa do Mundo de Tiro com Arco

Esportes

Brasil perde disputa por bronze na Copa do Mundo de Tiro com Arco

Redação Folha Vitória

Medellín - Dois anos depois de conquistar uma medalha histórica, o tiro com arco do Brasil não conseguiu repetir o feito. Marcus Vinicius D'Almeida e Ane Marcelle foram derrotados por dois atletas do Taiwan neste domingo e ficaram em quarto lugar nas duplas mistas na etapa de Medellín (Colômbia) da Copa do Mundo de Tiro com Arco.

Tanto Marcus Vinicius quanto Ane Marcelle estão garantidos no Rio-2016. Os dois lideraram a seletiva nacional e estão entre os oito convocados (quatro de cada gênero) para a Olimpíada. Um homem e uma mulher, entretanto, ficarão como reservas.

Em 2014, o Brasil ganhou o bronze em duplas mistas em Medellín, medalha até então inédita para o tiro com arco brasileiro, obtida por Marcus Vinicius e Sarah Nikitin. A competição de duplas mistas não é disputada na Olimpíada. Mas, nas etapas de Copa do Mundo, serve para medir a força do país na modalidade, reunindo o melhor atirador homem e a melhor mulher.

Na chave individual, Marcus Vinicius fez 655 na fase de classificação em Medellín, passando ao mata-mata em 35.º. Nas eliminatórias, caiu uma fase antes das oitavas de final, para o sul-coreano Kun Bonchan, que depois foi bronze. Ane Marcelle foi ainda melhor. Ela avançou em 24.º e só caiu frente à também canadense Georcy Picard, já nas oitavas de final.

Sarah Nikitin, Michelle Acquesta, Marina Canetta, Marcelo Costa, Daniel Xavier e Bernardo Oliveira pararam logo na primeira rodada eliminatória. Todos estão entre os oito convocados para a Olimpíada. Michelle, chamada apesar de ser só oitava na seletiva nacional, foi só 53.ª entre 58 competidoras na fase de classificação na Colômbia, com resultado expressivamente aquém de Ane Marcelle e Sarah.

O Brasil ainda competiu na chave por equipes, que também consta no programa olímpico. Entre as mulheres, ficou em 11.º na fase de classificação e perdeu do Japão na primeira rodada eliminatória, na flecha de desempate. No masculino, foi 14.º, também pegou o Japão, mas perdeu por 5 a 1.