Flight Simulator: testamos o simulador de voo no "céu virtual" do ES

Games

Flight Simulator: testamos o simulador de voo no "céu virtual" do ES

Com o mundo inteiro dentro do game, decolamos de Vitória rumo ao Noroeste do estado. Venha conhecer o game e saber o que esperar desse super simulador

Fagner Martinelli Ferreira da Fonseca

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução/Microsoft

Flight Simulator foi lançado com a pretensão de englobar todo o planeta da forma mais verosímil possível, mapeando todo o planeta através de imagens de satélite e técnicas avançadas de representação do ambiente, do clima e da física que envolve cada aeronave. 

Passei algumas horas no "céu virtual" do Espírito Santo e vou relatar para vocês como foi essa experiência com a nova versão de um produto que continua no mercado desde os anos 80 e dessa vez veio mais completo do que nunca.

Interface e dificuldade

Foto: Reprodução/Microsoft

Sim, é um simulador! A aviônica, a física e tudo que envolve voar tende a simular a realidade, então mesmo que você ative todas as ajudas que o jogo te dá, você vai "sofrer" para fazer o avião voar, especialmente só com teclado e mouse. 

Os jogos de avião que você já jogou? Esqueça... esse tem um modelo de física extremamente superior, inclusive aos outros títulos mais antigos da série Flight Simulator. Seu avião se contorce, sofre influência do peso, velocidade, turbulência com o "vento virtual" e tudo precisa ser meticulosamente respondido usando os controles do modelo de avião que você está comandando.

A quantidade de opções e personalizações é insana, você consegue colocar o tráfego aéreo de verdade em tempo real, com o que está acontecendo no mundo, pode até acompanhar virtualmente um avião que está trazendo um parente distante e é muito legal ver tudo que está acontecendo no clima e nos aeroportos "de verdade". 

A coisa é tão completa que colhe dados de satélite, clima e torres de controle reais de aeroportos a ponto de você voar nas condições de clima que vê pela janela do seu apê e pode saber até quantos aviões estão parados em algum pequeno aeroporto ou campo de pouso de algum aeroclube do interior em qualquer cantinho do mundo.


Foto: GameTag: SliceOfLifeBR
Vista de Vila Velha em direção a Vitória pela Terceira Ponte

Simplesmente não dá para explicar a sensação, o voo é muito verossímil. Nuvens, vento, peso, velocidade, altitude, fuselagem, tudo interfere e abraça você na experiência de comandar um avião. 

Pilotar no ambiente que o jogo cria é um ótimo desafio, mesmo que no nível médio já comece a ficar algo para "quem gosta de avião". Se você quer só conhecer, tente optar por tudo na configuração mais fácil possível.

Voar a partir do Aeroporto de Vitória é uma experiência muito boa, você passa a conhecer nossa região metropolitana por outra perspectiva, aprendendo sobre o entorno das cidades e as localidades próximas o que ajuda você a se localizar melhor na vida real.

Aqui alguns pontos clássicos da capital, note que a terceira ponte é baixa, feita pouco acima do nível do mar, um pouco diferente que a nossa ponte real não é?


Ah sim! A primeira coisa que tentei após decolar de um ponto aproximado do que eu imaginei que seria a minha cidade natal, eu levei umas boas 2 horas para voar sobre ela virtualmente, mais uma para achar a fazenda onde eu ia nos finais de semana quando criança. 

É bem mais difícil do que parece e pode ser que eu ainda não saiba manipular bem as coisas, mas acertar um ponto de partida com a latitude e longitude é um dos primeiros desafios. Uma vez lá, tentar se localizar visualmente é o próximo passo e é incrível quando você consegue e começa a ver pontos de referência no relevo que você conheceu a vida toda.

Escola de pilotagem

O tutorial mais completo que eu já vi em qualquer lugar, um software de treinamento bem didático e com tudo que você precisa entender até para lidar com o avião "real", sem dúvida vai ser muito usado profissionalmente como foram por muito tempo as edições anteriores. 

Cada lição estipula o que vai ser aprendido e quanto tempo leva a etapa antes de você começar e as aulas fluem muito bem. Em algumas horas você se familiariza com os comandos e controles de uma pequena aeronave e já está no ar se divertindo.

O "mapa" do jogo

Foto: Reprodução/Microsoft

Basicamente, você voa em um modelo 3D da terra onde a IA usa imagens de satélite como base e simula construções e o relevo da superfície.

A minha região aqui no estado do Espírito Santo, no Brasil, é especialmente complexa, com relevo extremamente difícil de acertar, é basicamente como se fosse uma cordilheira que também se espalha horizontalmente com grandes pedras para todo lado. Eu, claro, quis achar não só a minha cidade, como a fazenda onde eu ainda vou visitar meus avós com certa frequência.

Foto: Reprodução/Microsoft

Longe da altíssima paridade de uma cidade grande feita "a mão" no simulador, algumas delas como Nova York são assim, detalhadas ao extremo.

 Mas mesmo um pequeno pedaço de terra perdido no noroeste de um pequeno estado brasileiro estava lá, bem representado, com as casas dos meus avós, a igreja da comunidade e o campo de futebol. 

As formações rochosas no entorno estavam algo entre 60 e 80% corretas em termos de altura, porém, perfeitamente dispostas e com um pouco mais de árvores do que realmente existem por lá, mas nada que seja absurdo, todo o lugar é perfeitamente reconhecível. 

Para mim, a única falha no visual foi a de um dos "pontões capixabas" no noroeste do ES, uma formação muito peculiar onde um pico agudo, alto e mais fino que os laterais na verdade não estava estava alinhado com os outros ao invés de mais alto. 

As outras formações estavam melhor alinhadas com tamanho e forma. Seja como for, você tem um ambiente praticamente igual ao que existe lá realmente.

Sobrevoando a cidade de São Gabriel da Palha, 200km ao norte da capital do ES, lugar que eu conheço bem por ter nascido e crescido, deu para entender um pouco melhor algumas questões. A cidade se tornou uma "versão" 80% semelhante a real. Como você deve ter percebido nas imagens de Vitória onde a terceira ponte existe mas é feita sem os vãos altos para a passagem dos navios.

As mesmas ruas estão lá, você reconhece o lugar que está sobrevoando principalmente por isso. Mas claro, as casas são mais repetitivas e algumas maiores se transformam em prédios (isso aconteceu com a casa de um dos meus avós que virou uma espécie de prédio). 

O ginásio de esportes no centro da cidade ganhou um telhado duplo ao invés da grande "concha" de zinco que ele possui e você reconhece o centro, os bairros e as praças quase todas, está tudo lá e o relevo ajuda a navegação pelo espaço ou seja, se aproxima da realidade. 

Alguns lugares ganharam passagens elevadas ou viraram "viadutos" onde, na verdade, são estradas baixas, e vice-versa. Mas em poucos locais e você, se conhecer o lugar, vai entender as pequenas diferenças.

Foto: Reprodução/Microsoft

O que é interessante notar aqui é o fato de que você pode ver a sua cidade, ou mesmo pequenos povoados nas fazendas da zona rural, os rios, poços de água e plantações, está tudo lá e com grau razoável de semelhança, o suficiente para você reconhecer o lugar, e os "erros" de altura ou pequenas inconsistências são perdoáveis se você imaginar que a equipe do game colocou literalmente o mundo inteiro dentro dele.


Performance

Logo de inicio o jogo apresentou problemas de performance, foi necessário uma atualização de drivers no PC, mas depois de atualizado a performance melhorou bastante. Comecei com tudo que interessa na regulagem mais alta, chão, arvores, texturas e rodou bem no nosso PC de testes que apesar de não ser modesto também não é o "melhor do mundo", nossa configuração é a seguinte:

Ryzen 7 3700X, BIOSTAR X570 Racing GT8 com 32GB [email protected], SSD Corsair 3.5GB/s e a RTX 2070 8GB OC Dual Asus.

O jogo rodou de forma bastante consistente, sempre na faixa dos 60 FPS mesmo com a maioria das configurações no máximo, em um monitor FullHD. Ficou claro que em resoluções mais altas nossa GeForce não iria dar conta, sendo portanto uma condição de qualidade apenas para quem tem hardwares tão extremos quanto as opções que se pretende ativar.

Ocupando 120GB e com instalação acontecendo em etapas,  sendo primeiro o "núcleo", que é instalado no local padrão de instalação de APPs da loja do seu Windows com cerca de 40GB, em seguida o instalador pede para você escolher onde os dados de "base" serão instalados baixando mais cerca de 80GB. 

Além disso ele precisa de uma área de Streaming, inicialmente ele reserva 8GB do seu HD principal mas isso pode ser alterado, como o loading inicial é demorado, o ideal é as três áreas estarem em um SSD e 240GB seria o ideal só para ele, caso você seja um aficionado.

Vale a compra?

Foto: Reprodução/Microsoft

Na nossa opinião, caso você seja um piloto, ou uma pessoas interessada realmente na simulação, nos detalhes da pilotagem de cada modelo, esse produto é para você. Agora se você só quer se divertir um pouco, o cenário pode mudar rapidamente. 

"Comprar para conhecer", com preços a partir de 300 reais e podendo superar os 400, não é fácil, e em um software caro e muito técnico, a "diversão" é realmente aprender a pilotar. Lembre que você não vai atirar em nada e na verdade vai "lutar" para manter seu avião no ar controlando as diversas alavancas e botões enquanto tenta se localizar nos instrumentos.

O jogo tem "missões" de descoberta para você voar em pontos famosos do mundo, fazer pousos em diferentes áreas e conhecer diversos países a partir do céu, sem dúvida é interessante se você sabe o que esperar.

Ainda bem que a Microsoft fornece a versão standard do Flight Simulator 2020 no serviço Game Pass, uma espécie de "NetFlix" dos games, onde ao invés de assistir filmes você pode dar download, instalar e jogar pagando só a mensalidade, que no no primeiro mês costuma custar apenas 5 reais e ainda entrega centenas de outros jogos, inclusive todos os lançamentos da empresa no primeiro dia. 

Aí sim, você pode instalar e sentir como é um simulador sem comprometer muito dinheiro e descobrindo se você é capaz de pilotar um avião "de verdade". 

Aliás, isso pode ajudar você a entender também o que não é um simulador e aprender mais sobre esse tipo de software, que tem mais a ver com treinamento do que com entretenimento.

E vocês, já voaram em alguma versão de Flight Simulator?