Culpa e Angústia: entenda o que suas emoções podem estar te dizendo

Ontem fiz uma live no Instagram (@rafaelottaiano) com o Cosme Peres, psicólogo com formação em filosofia e mais de 15 anos de experiência na área de recursos humanos.

Durante os últimos tempos vivemos uma verdadeira montanha russa: situações inusitadas, incertezas e falta de esclarecimento fizeram até as pessoas mais calmas perderem o equilíbrio.

De verdade, lidar com nossas emoções é um eterno aprendizado. Nesta quarentena tanto culpa quanto angústia se mostraram temas recorrentes. Sem compreende-las tentamos negar, bloquear, esconder ou eliminar, e perdemos a oportunidade de aprender e nos aprimorar.

Acumuladas ao longo do tempo, elas se tornam “verdadeiros monstros” que nos perseguem e podem ocasionar doenças.

Segundo Cosme, um ponto importante é parar de atribuir rótulos a um determinado sentimento: “o que os torna positivos ou negativos são as ações que tomamos a partir do que estamos sentindo. Esta conexão entre o que eu sinto, o que eu penso, e qual ação tomo é que faz a grande diferença”.

Sentimos culpa porque erramos em relação ao outro. Algo que fazemos ou deixamos de fazer, e sabemos de nossa responsabilidade. A culpa neste caso pode ser um propulsor de reflexão que estimula agir corretamente, ou o início de um estado de negação que aumenta o sofrimento interno.

Observar o sentimento em perspectiva nos permite entender que não somos nossos sentimentos, assim como não somos as situações de nossas vidas. Podemos estar tristes, nem por isso somos pessoas tristes. Estar remete a um estado transitório e mutável. Ser remete a nossa essência, ampla e perene.

Aqui nos assemelhamos a água que pode mudar de estado: líquida, sólida (gelo) ou gasosa (vapor), e mesmo assim não deixa de ser, na essência, água.

A angústia por sua vez é um sentimento que coloca em dúvida as ações que estamos tomando ou não, nos questionando se deveríamos ter feito algo diferente e nos prendendo ao passado.

Ao que parece, todos esses sentimentos podem ser amenizados quando focamos em ter práticas melhores ou mais corretas, virtuosas, no presente.

Nas palavras do psicólogo capixaba Enéas Lara: “só a ação trás alívio”.

A meditação, a oração, o silêncio e a atenção plena são ferramentas que podem ajudar a entender o que desperta a emoção e agir para mudar.

Lembrar que somos muito mais do que as dificuldades que estamos vivendo, nos permite crescer meio a dor e prosperar meio a adversidade.

*artigo escrito por Rafael Ottaiano, fundador da Positiv Network.

** receba os artigos em primeira mão e de fácil compartilhar, clicando aqui.

5 Respostas para “Culpa e Angústia: entenda o que suas emoções podem estar te dizendo

  1. Culpa e angústia são sentimentos que acabam com qualquer um. Se sentir culpado ou angustiado ora ou outra é normal, mas viver com essa dor todos os dias não. Simplesmente não dá. Por isso falar sobre esse assunto é tão importante.

  2. Excelente reflexão!!
    Outro dia eu li que focar na luz é diferente de lutar contra a escuridão. Faz todo sentindo. A vida não é só um mar de rosas, e tá tudo bem. Acho que o que precisamos é aprender a abraçar o nosso caminho, vendo o lado positivo, mesmo dos sentimentos e emoções não tão legais, sem lutar contra, mas aprender com isso.

  3. Essa reflexão de Estar e não Ser emoções e situações da vida, ajuda muito a aceitar e viver a vida com mais leveza. O sofrimento vem do apego de determinadas situações, e quando entendemos essa reflexão passa a ser aprendizado.
    Mas é um treino que deve ser feito todos os dias, seja em meio ao caos, alegrias ou tristezas.
    Gratidão 🙏🏻

  4. Excelente tema!! culpa e angústia fazem parte das frequências mais baixas que podemos vibrar (30hertz) a última seria a vergonha (20hertz) onde nosso organismo fica totalmente vulnerável a doenças psicossomáticas, e quanto mais resistimos mais intensas elas ficam, tenho o hábito de acolher, abençoar e observar o que a emoção está querendo me dizer, parece estranho, mas a emoção acaba perdendo a força dando espaço para aceitação( 350 hertz) que faz parte das frequências mais elevadas e nos matém saudáveis.
    Nesse momento mais do que nunca, precisamos dar prioridade a meditação, oração, silêncio e estado de presença.
    Após essa pandemia com certeza nossa consciência e valores serão outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *