Pare de esperar grandes perdas

Todos já escutamos histórias de pessoas que mudaram bastante depois de alguma perda, trauma, acidente ou grande comoção. É natural que quando somos confrontados com cenários drásticos, a mudança seja o caminho para a “sobrevivência”. É como se de repente um novo capítulo tivesse que ser escrito em nossas vidas para conseguirmos seguir adiante, superando o impacto a que fomos submetidos.

Mas será que precisa ser sempre assim? Será que vamos precisar perder algo ou alguém para sair do lugar? Será que sempre o sofrimento vai ser a mola propulsora da ação? Espero que não.

Muitas pessoas dizem que é necessário sofrer para aprender, e contesto essa idéia com muito afinco. Digo isso pois temos a inteligência a nosso favor, e de maneira consciente, ninguém escolhe sofrer. O sofrimento acontece quando ignoramos a realidade diante de nós e criamos justificativas para não fazer o que é preciso.

No meio empresarial é comum ouvir a temática de “melhoria contínua” muito ligada a programas de gestão da qualidade, meio ambiente e saúde e segurança. A idéia é que procedimentos, processos, formulários, responsabilidades e entregas sejam sempre revisitadas de tempos em tempos buscando tanto adequa-las a realidade como aprimora-las.

Meio a pandemia, o que mais escuto de empresários são as chateações que estão enfrentando durante este período. Não há como negar os efeitos: desde a perda de entes queridos, demissões, redução da atividade econômica e outras dificuldades.

Mas se esta é a realidade a que estamos expostos, precisamos analisar os caminhos a serem tomados e investir nosso tempo em melhorar, ao invés de gastar nosso tempo reclamando. Se apesar das chateações, mais tempo foi o que ganhamos, devemos utiliza-lo para sair melhor do que entramos nesta crise.

Estudar sobre gestão financeira e atendimento ao cliente, permitirá que cada consumidor seja tratado com zelo e sinta prazer em consumir, aumentando a retenção dos clientes e maximizando a captação de novos.

Estudar ferramentas digitais permitirá ampliar os canais de vendas e acesso ao cliente, identificando demandas, sanando dúvidas e se fazendo presente mesmo ausente: de forma gratuita.

Não podemos esperar o prejuízo para melhorar a gestão, assim como não podemos esperar a reclamação para melhorar o atendimento. Quaisquer que sejam os indícios que seu negócio vinha apresentando, culpar a crise é tapar os olhos pro que está além dela.

Pra todos os efeitos, melhorar devia ser regra e não exceção. Pra quem acha que isso só se aplica ao empresário, leia novamente: vale pra qualquer um.

*artigo escrito por Rafael Ottaiano, fundador da Positiv Network.

** receba os artigos em primeira mão e de fácil compartilhar, clicando aqui.

9 Respostas para “Pare de esperar grandes perdas

  1. As mudanças, seja por perdas ou não, é o caminho de evolução. Quando somos confrontados com os desafios que as mudanças apresentam, é para mostrar a sabedoria interna que cada pessoa possui, e a partir dela extrair nossa capacidade de resiliência e discernimento, seja para vida profissional, pessoal ou espiritual.

  2. Mudamos predominantemente por dois motivos, forte impacto emocional, que pode ser uma grande perda como citou no texto, ou por disciplina.

    Nesse último caso a mudança ocorre pelo desejo de uma conquista. E não pela fuga de um resultado. Eu acho todas as formas de mudanças válidas, desde que as mudanças necessárias sejam feitas.

    Mas entendo perfeitamente o seu conselho, de fato, se fizermos da melhoria contínua um hábito, teremos muito mais mudanças por disciplina do que por fortes impactos emocionais.

    Eu adotei a melhoria contínua para minha vida desde de quando estagiei na antiga Arcelor Mittal, pois aprendi esse termo lá (2005). Tenho a meta de ser hoje melhor do que ontem, mas não melhor do que amanhã.

    Esperar apenas por mudanças que ocorram por forte impacto emocional é arriscado. Pois essas tanto podem gerar mudanças com resultados positivos, como traumas. Já a disciplina tem um alvo definido com precisão. Logo, o disciplinado consegue viver exatamente a vida que quer.

  3. Gostei do texto e percebo que a maioria das vezes nos preocupamos em melhoria contínua sempre em relação ao lado profissional.
    Tenho um filho de 12 anos e pela primeira vez exceto em período de férias consegui tempo para almoçarmos juntos entre outras coisas por 100 dias e isso é muito gratificante como mãe e profissional. Valorizar as coisas simples e principalmente as pessoas são desafios do processo de melhoria contínua pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *