Conheça 6 dicas de como planejar um intercâmbio na pandemia

Intercâmbio
Compartilhe esta notícia

Fazer intercâmbio é o sonho de muitos estudantes, seja para estudar outra língua, fazer um curso profissionalizante ou conseguir uma oportunidade de trabalho no exterior. No entanto, com o início da pandemia, ele se tornou um desejo distante para muitos que se viram obrigados a cancelar ou adiar suas viagens por tempo indeterminado. Mesmo sem uma previsão de volta à normalidade, o interesse em realizar intercâmbios se mantém em alta, especialmente para um cenário pós-pandemia.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio (Belta), 33% das pessoas que já planejavam viajar continuam com esse desejo, enquanto 3% desistiram definitivamente. As perspectivas para uma possível retomada do setor no segundo semestre deste ano são positivas, principalmente com o início da vacinação em diversos países.

Os planos para fazer um intercâmbio não precisam ficar guardados na gaveta. Usar esse tempo para planejar e preparar com calma, para que estudo esteja em ordem até o grande dia contribuirá com o êxito da experiência. Confira os principais pontos que não podem ficar de fora do momento do planejamento.

Escolha do país

Cada país possui uma cultura, hábitos e rotina completamente diferentes. Sendo assim, é importante questionar suas preferências: você gostaria de viajar para um lugar mais tranquilo ou agitado? Centro urbano ou uma cidade menor? Cidade quente ou fria? Próximo ao litoral? De interesse histórico? É importante se fazer essas perguntas.

Exigências da pandemia

Por mais que alguns países já estejam com suas fronteiras abertas para estrangeiros, outros ainda permanecem fechados ou impõem regras, como uma quarentena obrigatória ao chegar na região, por exemplo. Portanto, certifique-se de como o país escolhido está lidando com a pandemia e suas exigências com viajantes para não ser pego de surpresa.

Defina o objetivo do intercâmbio

Existem diversos tipos de intercâmbio a serem explorados: estudar o idioma local, graduação, realizar um curso profissionalizante ou à trabalho. Dessa forma, é importante avaliar as oportunidades que cada país oferece a esses programas, e se eles correspondem aos desejos e expectativas.

Tempo

Dependendo do programa escolhido, um intercâmbio pode ter uma duração de uma semana ou até dois anos. É importante ter consciência do tempo ideal e necessário de acordo com o objetivo da viagem, uma vez que ele impacta especialmente nos gastos.

Moradia

O tipo de moradia impacta diretamente na rotina em termos de logística e custos. Dentre as opções mais procuradas estão os albergues, casas de família ou instalações da própria universidade.

Faça um planejamento financeiro

Toda viagem envolve gastos, e dependendo do país escolhido, a moeda utilizada pode aumentar a quantidade de dinheiro necessário. Portanto, tenha em mente o valor do Real na moeda local, e os custos médios de acomodação, comida, transporte e até mesmo diversão.

A pandemia impôs uma série de desafios nos planos de intercâmbio de muitos estudantes. Enquanto a viagem ainda não pode ser agendada, aproveite esse tempo para planejar todos esses itens com assertividade, pois isso garantirá uma experiência internacional inesquecível.

Veja mais conteúdos sobre educação e tecnologia no EducaTech.

*artigo escrito por Jéssica Carvalho, gerente de produtos SEDA Intercâmbios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *