Novos cenários da Educação: quem é o aluno no pós-pandemia?

Novos cenários da educação
Compartilhe esta notícia

Frente ao momento atípico que o mundo enfrenta por conta da pandemia da COVID-19, novos cenários se apresentam para a educação. E os estudantes têm apostado no ensino a distância não só como forma de manter o distanciamento social, mas de seguirem focados em seus objetivos de vida. Dessa forma, o EAD virou protagonista na capacitação de inúmeros profissionais para um mercado de trabalho cada vez mais competitivo.

De acordo com o último censo da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED), 76,3% dos adultos entre 26 e 40 anos já preferiam cursos a distância em 2019. Isso significa aproximadamente 9 milhões de alunos na modalidade digital no Brasil. Estima-se que durante a pandemia, mais de 1 bilhão e 600 milhões em todo mundo migraram para opções EAD.

“O EAD ganhou força nos últimos anos e tem se tornado protagonista na vida de milhões de pessoas que desejam investir na carreira sem abrir mão da flexibilidade e facilidade de acesso ao aprendizado. Além disso, o EAD é opção para quem quer otimizar tempo e ainda garantir reconhecimento no mercado de trabalho”, explica o professor Dr. Carlos Fernando Araújo Júnior, Pró-Reitor de Educação a Distância da Cruzeiro do Sul Virtual.

Novos cenários da educação

Para o professor, a pandemia se tornou uma oportunidade de derrubar preconceitos e mostrar os diversos benefícios dessa modalidade. Ele cita o exemplo do modelo EAD 4.0 da Cruzeiro do Sul Virtual, que conta com diversos encontros presenciais e virtuais, uma tendência no pós-pandemia.

“Esse momento de distanciamento social oportunizou a educação para características positivas, com novos significados e adaptações. O EAD 4.0, por exemplo, tem como objetivo unir os dois mundos com aulas 100% on-line e encontros presenciais. Ele veio para proporcionar momentos em que o aluno estuda de forma remota, mas ainda possui o contato com professores e colegas de classe”.

De acordo com Araújo, para que isso seja possível, o aluno do EAD, por si só, já dispõe de um perfil diferenciado. E com os novos cenários da educação ocasionados pela pandemia, é importante conhecer quem é o aluno atual e do pós-pandemia.

“Quem ingressa no EAD entende que a modalidade exige disciplina, autonomia, proatividade, organização e muita responsabilidade. E vem atender a um perfil de aluno mais centrado e que busca sua constante capacitação, características exigidas pelas empresas e para o mercado de trabalho cada vez mais competitivo”, reforça professor.

Araújo explica que com as mudanças das relações de trabalhos e o aumento exponencial do home office, o mercado de trabalho passou a exigir também um novo perfil corporativo. Mas que no pós-pandemia isso ficará cada vez mais forte. “É um novo mundo da educação a distância. Ela veio para ficar e preparar esses profissionais com protagonismo, liderança, boa comunicação, organização, iniciativa e pensamentos crítico para o mercado”.

Dessa maneira, o professor reúne, por fim, as principais características do aluno preparado para viver o momento no pós-pandemia:

Disciplina

Ser uma pessoa disciplina ajuda bastante na conquista do diploma em um curso a distância. Ter a liberdade de montar seu próprio cronograma de estudos é sim algo muito vantajoso. Mas isso não terá o mínimo efeito se o aluno não estiver disposto a seguir firme no seu propósito.

Organização e autonomia

Essas características também têm tudo a ver com o perfil do aluno EAD. Afinal, como montar uma boa rotina e segui-la com responsabilidade se a pessoa não for organizada e não tiver autonomia?

Protagonismo

Ser protagonista é ser personagem principal da sua narrativa. Esse aluno não apenas absorve conteúdo, mas também agrega. Pesquisa informações, expõe ideias, debate e cria.

Veja mais conteúdos sobre educação e tecnologia no EducaTech.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *