Teste Gratuito de Depressão: como saber se meu filho está deprimido?

Teste gratuito de depressão
Compartilhe esta notícia

De repente, você percebe que seu filho não curte mais se divertir (o que chamamos de anedonia), está sem apetite, o sono está conturbado, está sempre cansado e, comumente, faz queixas de dor física. Recusa convites para ir à casa dos amigos e o choro vem sem motivo aparente. Alerta: o seu filho pode estar com depressão.

Crianças gostam de brincar, são incansáveis, gostam de interagir, dificilmente reclamam de uma brincadeira. Gritam, choram, esperneiam, mas, ao menor toque, estão lá brincando de novo. Mas a depressão infantil pode levar tudo isso embora e transformar o seu filho em alguém apático, triste e antissocial. 

Hoje você vai entender quais os sintomas da depressão infantil e como a pandemia afeta o seu filho, além de fazer um teste gratuito para descobrir se seu filho pode ter depressão!

O que é depressão infantil?

A depressão é um transtorno de humor caracterizado por frequente tristeza, anedonia (sem vontade de se divertir), irritabilidade e mau-humor. Você percebe que seu filho perde a vontade de fazer atividades habituais, como, por exemplo, jogar videogame, jogar futebol com os amigos do condomínio ou sair para dar uma volta na rua.

Principais sintomas de uma criança ou adolescente deprimidos:

É importante lembrar: diante desses sintomas, nunca xingue ou desmereça seu filho. Procure diagnosticar primeiro para depois fazer algum tipo de julgamento.

  • Tristeza constante;
  • Dores abdominais;
  • Irritabilidade;
  • Falta de prazer em fazer coisas que antes gostava;
  • Dificuldade de ficar longe dos pais;
  • Fobias diversas (medo de sair, medo de dormir sozinho);
  • Grandes variações de peso (come mais ou menos do que o habitual);
  • Dificuldade de concentração;
  • Prefere se isolar a brincar com outras crianças;
  • Cansaço frequente;
  • Não quer mais ir à escola ou assistir às aulas.

Sintomas de depressão nas aulas EAD:

  • Sonolência excessiva;
  • Falta de vontade de trocar de roupa e de se alimentar; 
  • Desinteresse nas atividades propostas pelo professor (mesmo as dinâmicas e criativas).

A partir de que idade meu filho pode ter depressão?

De acordo com especialistas, a depressão infantil é diagnosticada depois dos 5 anos de idade, pois é a partir desse momento que a criança interage na escola com os professores, com os amigos e com demais situações onde os sintomas aparecem. 

É também a partir dos 5 anos que a criança passa a compreender um pouco melhor os eventos que ocorrem ao seu redor (a perda de um familiar, a troca de escola e a separação dos pais, por exemplo). E ao não compreender tudo com clareza, começa a dar sinais de que não se sente bem: chora, fica irritada, come demais ou menos, tem insônia, etc.

Por isso, quando o cenário familiar ou escolar sofrer alterações bruscas, converse com seu filho, seja sincero e não ache que a criança não percebe que o clima mudou.

Causas da depressão infantil

  • Cobrança exagerada por parte dos pais e da sociedade em relação ao desenvolvimento da criança;
  • Falta de contato da criança com os pais em função do trabalho;
  • Perdas de pessoas muito próximas, como avós, por exemplo;
  • Mudanças de colégio, já que o vínculo com os colegas e o professor era forte;
  • Perda de um animal de estimação;
  • Maus tratos (violência física e psicológica, alcoolismo, famílias desestruturadas).

Causas da depressão na adolescência

  • Pressões sociais (sucesso, escolha profissional, relacionamentos amorosos, sexo);
  • Descontentamento com o corpo ( é preciso ficar atento aos quadros de bulimia e anorexia);
  • Corte de vínculos afetivos com os pais, preferem aos amigos e isso pode ser prejudicial quando em demasia;
  • Senso de injustiça: o adolescente tem, naturalmente, a sensação de que está sempre sendo injustiçado e de que ninguém o entende. Se isso ocorre em uma família desajustada, que não costuma dialogar, pode-se criar um quadro de depressão grave.

Aulas EAD e depressão: como a pandemia pode afetar meu filho?

O contato com o ambiente escolar é tão importante para crianças e adolescentes, que os especialistas afirmam que a falta disso prejudica severamente o desenvolvimento dessas faixas etárias. A pandemia do coronavírus chegou rapidamente e, em poucas horas, estavam todos isolados, passando por mudanças radicais na rotina. 

Para crianças e adolescentes isso é muito nocivo, porque gera estresse emocional e corta bruscamente o vínculo com os amigos, professores e com todo o ambiente escolar. E como a família toda passou a trabalhar em casa, precisou-se organizar o espaço e definir novas regras. Mas grande parte das famílias não têm estrutura para isso, logo, a criança e o adolescente ficam vulneráveis emocionalmente, porque não sabem como lidar com situações deste tipo.

5 atitudes que podem desencadear ou piorar a depressão do seu filho:

Desorganização do espaço de estudo

Procure, na medida do possível, reorganizar os espaços da casa para que todos tenham um lugar só seu de trabalho de estudo. Ou seja, para que todos sintam que são importantes dentro de casa.

Não observar os comportamentos

É necessário, durante o home office, que você fique mais atento aos comportamentos diferentes do seu filho. Lembre-se de que antes quem fazia isso era o professor, mas agora passou a ser tarefa sua.

Não organizar a agenda do dia

O trabalho e o estudo remotos exigiram que as famílias  priorizassem as tarefas do dia. Então, incentive o cumprimento de horários (hora do café, almoço, descanso, hora do estudo, dos temas e do sono). Por exemplo: acorde todos no mesmo horário para que tomem café juntos e depois ninguém atrapalhe ninguém durante as atividades.

Abandonar atividades prazerosas

“A pandemia não permite que as crianças brinquem”. Declarações como essa não são verdadeiras. Afinal, sabemos que estão restritas as brincadeiras em praças e clubes, mas você pode reinventar as atividades em casa ou no seu apartamento. Por exemplo, se seu filho participa de uma escolinha de futebol e você tem pátio, procure organizar atividades físicas com bola para ele. Se você mora em apartamento, crie um espaço para pintar, cortar, recortar, dançar etc.

Deixar que os filhos se isolem de tudo e de todos

Lembre-se de que o isolamento é para se proteger somente do vírus. Portanto, você não deve deixar que seu filho se isole de mais nada e de mais ninguém! O que isso significa? Que você deve incluir o seu filho nas atividades domésticas, fazer videochamadas com os avós, fazer as refeições juntos, conversar sobre a nova rotina da casa etc.

Teste de depressão da Eurekka: descubra se seu filho pode estar depressivo!

Antes de tudo: para saber se o seu filho está mesmo desenvolvendo uma depressão, ele precisará ser avaliado por um profissional da saúde – um psicólogo ou um médico. O Teste de Depressão da Eurekka serve para você ficar alerta ou não e, então, buscar ajuda especializada. 

O diagnóstico da depressão leva em conta o que aconteceu nas últimas duas semanas, porque a ideia não é pegar as flutuações de humor recentes, mas sim observar um padrão. Pensando nessas últimas duas semanas, serão feitas perguntas para o seu filho relativas aos nove principais sintomas de depressão.

Teste gratuito de depressão
Descubra se seu filho pode estar depressivo!

 

Terapia on-line da Eurekka para depressão

Se você identifica essas atitudes no seu filho, então é muito importante que o ofereça o auxílio necessário. A depressão na infância e na adolescência deve ser trabalhada em terapia pois, caso contrário, pode causar diferentes consequências, desde abuso de drogas até o próprio suicídio

A Eurekka é uma clínica de psicologia que atende pessoas do mundo todo, e todos os dias ajuda dezenas de pessoas a viverem uma vida melhor, mais produtiva e, em alguns casos, menos depressiva. Se você quer ajudar o seu filho a lidar melhor com as emoções e viver uma vida mais leve, fique a vontade para marcar uma conversa inicial com um dos terapeutas, clicando aqui!

Veja mais conteúdos sobre educação e tecnologia no EducaTech.

2 Respostas para “Teste Gratuito de Depressão: como saber se meu filho está deprimido?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *