TDAH ou TEA? Especialistas explicam que semelhanças entre os dois transtornos geram confusões

TDAH TEA
Compartilhe esta notícia

É bastante comum que crianças com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) sejam confundidas com outras condições, principalmente com o Transtorno do Espectro Autista (TEA). ⠀

De acordo com a Profa. Dra. Giovana Escobal, diretora do Instituto ABAcare, essa confusão muitas vezes ocorre porque crianças com TDAH podem apresentar uma desatenção, inquietude, dificuldades de compreensão e impulsividade.

“Tanto o TDAH quanto TEA são transtornos que podem gerar dificuldades na regulação emocional, habilidades sociais, problemas de atenção e comportamento de difícil manejo”, esclarece.

As duas condições podem coexistir e, em alguns casos, os traços de TDAH acabam dificultando o diagnóstico de TEA. “A Análise do Comportamento oferece procedimentos efetivos para tratar impulsividade, déficits em habilidades sociais, manejo de comportamentos inadequados, etc. tanto para Indivíduos com autismo, como com TDAH”, diz a Profa. Dra. Giovana Escobal.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), cerca de 70% das pessoas com autismo podem ter um distúrbio mental associado. Isso é conhecido na linguagem médica como “comorbidade”, frequentemente, por não apresentarem os pré-requisitos fundamentais para responderem aos testes psicométricos, por exemplo.

A Psicóloga Dafne Fidelis explica que, embora as diferenças às vezes pareçam sutis, é necessário se atentar às particularidades de cada condição para chegar a um tratamento adequado.

“A associação dos transtornos pode levar a erro no diagnóstico, atrasando o tratamento correto. No entanto, se faz necessária a participação de uma equipe multidisciplinar, composta pela família, professores, psicólogos, psicopedagogos, psiquiatras e terapeutas ocupacionais, para fazer uma investigação de forma efetiva”, diz.

Vale lembrar que o diagnóstico – conclusivo ou não – serve primeiramente para construir um plano de tratamento. “As estimulações devem ser iniciadas o quanto antes. Afinal, seja qual for a conclusão futura, iniciar o tratamento dos sintomas é fundamental para desenvolver as habilidades que parecem comprometidas”, conclui a psicóloga.

Veja mais conteúdos sobre educação e tecnologia no EducaTech.

Um comentário em “TDAH ou TEA? Especialistas explicam que semelhanças entre os dois transtornos geram confusões”

  1. A demora no diagnóstico, o encaminhamento ao profissional da saúde e a conclusão do laudo leva uma vida o que prejudica os portadores de necessidade especiais, sem falar do sistema educacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *