Psicologia Positiva: uma nova abordagem para educação dos filhos

Psicologia Positiva
Compartilhe esta notícia

A educação infantil é uma responsabilidade gigantesca, que deve ser levada sempre em conta os aspectos culturais, sociais e pessoais de cada indivíduo. Mas cada pessoa é única e é isso que a torna tão especial. Não se restringe apenas em ensinar a ler e escrever, muito além disso, pais, mães e cuidadores têm o dever de ensinar suas crianças a viverem em sociedade. Talvez essa seja a tarefa mais difícil do mundo, mas, com certeza, a mais recompensadora. A Psicologia Positiva, entretanto, vem para agregar nessa fase que para muitos pais é desafiadora.

Diferente de outras abordagens, esse método se coloca contra qualquer prática adotada na educação que se relaciona a ações que geram punições e chantagens emocionais. Isso porque se comprova um aperfeiçoamento de autonomia, autoestima e autoconfiança no indivíduo sem a necessidade de tais ações negativas, de cunho ameaçadoras.

Por que devo acreditar que o castigo não funciona?

Já parou para analisar como é o comportamento da criança quando recebe uma punição por seus atos imaturos? Uma criança que tem algum tipo de comportamento que os pais julgam como errado recebe automaticamente uma grande bronca ao invés de acolhimento.

A partir desse primeiro momento, sua visão de ser insuficiente para seu cuidador ativa. Após isso, o responsável coloca o filho no chamado “cantinho do castigo”, onde as ordens são pensar no que fez, o porque que fez e ficar ali parado os minutos correspondente à sua idade, apenas, segundo muitos, para refletir.

Mas agora se coloque no lugar desse pequeno ser, que ainda está descobrindo as condutas certas ou erradas, aprendendo o que sente, o que pensa e como expressar isso para alcançar melhor compreensão. Como você se sentiria? A criança que é castigada constrói dentro de si:

  • Medo;
  • Baixa autoestima;
  • Dificuldade de se comunicar;
  • Problemas para acreditar em si mesmo;
  • Vergonha;
  • Dúvidas;
  • Traumas;
  • Culpa.

A partir de então pode-se desenvolver transtornos, fobias, déficits e diferentes outros problemas/doenças mentais, iniciando-se até na fase da primeira infância, podendo acarretar para a vida adulta.

O que é a Psicologia Positiva?

A Psicologia Positiva vem para somar na educação como um todo para qualquer indivíduo, proporcionando melhor qualidade de vida em todos os aspectos e, principalmente, na saúde emocional das pessoas.

Ela aposta no amor, na boa relação, na prática da empatia, do diálogo e de alternativas mais construtivas, com foco no aprimoramento do comportamento humano, além disso, age diretamente nos aspectos socioemocionais do indivíduo, gerando ganhos em sua área cognitiva.

O castigo, citado acima, quebra o vínculo da criança com seu cuidador. Sendo assim as crianças precisam de afeto, de pessoas que as escutem e de instrução. Ameaça gera medo. Amor gera compreensão.

A criança que foi punida no exemplo anterior, ao ficar parada no cantinho assombrado da punição, não consegue fazer uma reflexão do seu ato por não ter tido um acolhimento, instrução. Isso, portanto, gera uma mistura de sensações inexplicáveis de angústia e dor. O choro não é por ter sido impedido de fazer o que estava antes, mas sim por ouvir dos pais um grito ofensivo em vez de uma correção adequada.

Como faço para aplicar a prática da Psicologia Positiva na educação da criança?

diálogo

Esse é um dos instrumentos mais valiosos que existem e de graça. Uma família que se comunica bem, interage de forma respeitosa e descontraída, tem só a ganhar. Claro que não ocorre dessa forma todos os dias, mas o que importa é tentar e focar no ganho desse esforço.

compaixão

Praticar habilidades que demonstrem compaixão é um ótimo passo para o início de tudo. Afinal, quem não sente gratidão por tudo que tem sido bom para si e para o outro?

estímulo

Busque estimular a criança sempre que fizer algo que demonstre talento e dificuldade.
A aposta dos pais e cuidadores vale muito para eles e isso lhes garante que é possível tudo que quiserem e vierem a precisar. Além disso, o estímulo também leva à reflexão, desenvolve autonomia e bons valores.

pensar nas suas ações

Em vez de um castigo, instrua a criança pensar sobre as consequências de suas ações. Isso faz com que ela tenha compreensão do que é bom para si ou não, o que irá contribuir para sua independência.

seja exemplo

Seja exemplo do seu filho. Busque não realizar práticas como mentir, procrastinar, não
cumprir com combinados e querer premiar um bom comportamento. Pois assim você irá passar para ele de forma errada, a importância da boa ação.

limites e regras

Toda criança precisa ter o mínimo de entendimento de que regras e limites precisam ser
atendidas. Invista nisso. Seja firme! Na Psicologia Positiva, falamos muito de criação com amor. Entenda, firme não é ser grosso. Firme é ser direto e seguro. E isso funciona muito bem quando o diálogo é bem estabelecido no lar. Isso irá agregar para seu filho, em se tornar uma pessoa que não tem dificuldades nas resoluções de problemas.

não ceda ao choro

Acolha, explique com calma a importância do que está falando e lhe faça pergunta sobre o mesmo assunto, a fim de dar oportunidade a ele de se expressar e entender que as frustrações acontecem com todas as pessoas no mundo, desenvolvendo em si mais confiança e automaticamente, trocará a birra pelo diálogo ao querer algo.

demonstra estratégias simples

Os obstáculos existem e o medo de tudo que é novo também. Mas se essas mentes incríveis fossem encorajadas a pensar com mais calma em uma boa solução, o mundo iria ter menos pessoas impulsivas e depressivas.

não rotule seu filho

Não diga que ele é um menino ruim, mas diga que sua ação não foi uma boa escolha e o ajude a pensar sobre isso. O poder da persistência na mente infantil é muito significante, fazendo com que ela não sinta-se pequena demais para conseguir alcançar alguma expectativa.

pratique o perdão

Educar é muito difícil, mas com um passo de cada vez, você conseguirá. Falar “eu estou muito zangada com você e só vou voltar a falar quando aprender que não pode fazer mais isso”, faz gerar um medo terrível de magoar quem ele teve a primeira representação de amor na vida. Faça diferente, substitua por: “eu estou chateada com o que você fez, mas te desculpo e vou te ajudar a entender o motivo que leva a sua ação a ser errada”. Assim você faz com que ele não desenvolva estresse e consiga coordenar seus pensamentos e sentimentos, criando o equilíbrio emocional.

E se eu tentar de tudo e não conseguir mudar minha forma de educar?

Existem vários estudos que poderá buscar aos poucos para aperfeiçoar essa conduta
sua de responsável/cuidador. Sendo assim, o primeiro passo você está dando, que é querer melhorar seu relacionamento com seu filho e ter um conhecimento mais amplo no assunto, que foi quando veio até aqui ler tudo isso.

O segundo, não mais importante, você também está se empenhando, que é sentir em você a necessidade de moldar algo em si ou no seu filho ou até mesmo em alguém próximo, para uma melhor qualidade de vida e/ou boa saúde mental. Parabéns! Não se culpe quando não der certo.

Não se cobre de conseguir tudo sempre e todos os dias fazer o sol sorrir. Então faça o seu melhor, um pouquinho de cada vez e se não for o bastante, procure profissionais de Psicologia que possam te orientar. Pois com certeza será um caminho leve e com grandes recompensas a colher em um futuro não muito distante.

Veja mais conteúdos sobre educação e tecnologia no EducaTech.

*artigo escrito por Karime Marconcini.

41 Respostas para “Psicologia Positiva: uma nova abordagem para educação dos filhos

    1. Gostei muito do assunto e que somos seres humanos único cada um.com sua história e sua bagagem .
      Que através da comunicação, interações ajudando a coordenar seus sentimentos e emoções

  1. Excelente! Raras vezes castiguei meus filhos: ficar sem ver tv, sem sair pra brincar… Mas quando já eram maiorzinhos, pelos 5 anos acima. Castigos físicos?! Não!!! Mas se eu tivesse estes conhecimentos na época, seria ótimo!

  2. O texto é muito bom e as informações muito válidas, mas se refere a “disciplina positiva” e não “psicologia positiva”. Psicologia positiva é uma área da psicologia que estuda e aplica recursos para aumentar as potencialidades dos indivíduos, leva a busca de uma vida com mais significado por exemplo e se aplica a qualquer relação interpessoal e não somente nas relações parentais. A disciplina positiva sim se refere a prática colocada no texto. Lembrando que na busca de criar relações mais saudáveis com os filhos, entender e modificar os comportamentos dentro da educação parental, o profissional mais habilitado para essa prática é o psicólogo especialista em parentalidade.

    1. Exatamente Renata Martins. Obrigada pela correção. É fácil fazer confusão, pois a palavra Positiva é usada em ambos os nomes. Mas é como você falou. O texto é sobre Disciplina Positiva, criada pela Jane Nelsen e Lynn Lott, duas psicólogas americanas, baseadas nos trabalhos do Alfred Adler e Rudolf Dreikurs.

      1. Respeito sua colocação, mesmo não enxergando erros. Cada um tem uma interpretação de acordo com suas vivências e conhecimentos. O intuito do texto é mostrar que existe outra maneira para a educação das crianças. A disciplina positiva está totalmente clara no corpo do texto e pelos comentários, acredito que todos conseguiram visualizar. Obrigada pela participação.

    2. O texto se refere a uma breve explicação de como a abordagem da Psicologia Positiva pode colaborar para a disciplinar os filhos. Tanto é que está todo direcionado nisso. Seu comentário somou com o conteúdo do artigo e agradeço por isso.

  3. Boa tarde.
    Achei muito interessante essa abordagem.
    Pois às vezes os pais ou pessoas do convívio da criança ou adolecentes esmagam-os com palavras, abrindo feridas que iram carregar por toda sua vida.

  4. Muito bom este testo, claro e de fácil compreensão. Para mim é uma leitura familiar nele fiz uma revisão literária nos meus conhecimentos.
    Muito obrigada por este momento.
    NAZARETH

  5. Muito boa a ideia da educação pela Psicologia Positiva. Ver-se, que é tudo isso que está no texto prescrito e muito mais, pois, educa como um todo quando é praticada na escola e em casa, junto com seus familiares terá grande proveito. Contudo, se a família não for sensibilizada e trabalhada para dar importância a nova prática da Psicologia Positiva, não irá interagir junto a escola e vai achar que isso é dever da escola. Pois, já é sabido que muitos pais pensam dessa forma jogando toda responsabilidade da educação de seus filhos para escola. Quando sabemos que não é assim. Obrigada! Abraços.

  6. Tenho uma conhecida que diz criar o filho com psicologia positiva. Ela nunca contraria o filho, se ele está fazendo alguma coisa errada ela busca mudar o foco dele pata outra coisa.
    O filho dela é um nojo, mal educado, desobediente, terrível na escola. Já tem 10 anos e é insuportável. Não tem amigos pq acha que só ele tem razão, não aceita um não de ninguém, não aceita ser contrariado.
    Enfim, não sei se ela quem aplicou o método de maneira errada ou se não funciona mesmo.
    Mas a vida real não costuma mimar ninguém…

    1. Por tudo que leio sobre disciplina positiva , ela aplicou o método errado , a disciplina não fala que a criança pode tudo , fala que devemos colocar limites e regras através do diálogo .

    1. Gostei do texto, tem muito ensinamento nele. Temos que buscar a evolução a cada dia. Talvez os erros que cometemos com nosso filhos não sejam apenas descaso ou estupidez, mas o reflexo de nossa criação. Podemos mudar o rumo das novas gerações com mais diálogo e amor.

  7. Bom dia!
    Gostei muito desse artigo sobre Psicologia Positiva. Me ajudou bastante de como devo corrigir meu filho sem causar danos emocionais.

  8. Muito bom esse esclarecimento,e válido p criar- nos nossos filhos corretamente.Cabe a cada um saber segui-lo com bom entendimento e pratica-lo corretamente.Parabens Karime por sua dedicação como Psicóloga e grande profissional q é.

  9. Eu conheço algumas pessoas que tratam seus filhos assim apenas conversando com eles sem jamais aplicarem um castigo, e esses filhos infelizmente são egocêntrico, eles pensão que o mundo gira em torno deles mesmo, viram pequenos deuses na terra e horrível

    1. Com certeza estão mimando em vez de aplicar uma disciplina correta. Buscar orientação antes de fazer algo novo é a chave do sucesso. Obrigada pelo seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *