Ferramentas do ensino remoto emergencial tendem as ser utilizadas nas aulas presenciais

Ensino remoto emergencial
Compartilhe esta notícia

A pandemia trouxe transformações profundas para a educação na maioria dos países do mundo. Atualmente, com o avanço da vacinação na população brasileira, instituições públicas e privadas em praticamente todos os níveis estão retomando as aulas presenciais. Com esse retorno, portanto, inúmeros vêm sendo os desafios enfrentados pelas escolas e universidades, gestores, professores e alunos de todo o país. Dessa forma, a única certeza que fica é que cada vez mais a tecnologia estará presente na educação. Especialistas afirmam que várias ferramentas digitais utilizadas no ensino remoto emergencial tendem a ser incorporados pelo ensino presencial em todos os seus níveis.

Os principais recursos digitais utilizados pelas instituições no ensino remoto emergencial durante a pandemia são:

  • Google Meet;
  • Google Classroom;
  • Moodle Classes;
  • Jitsi Meet;
  • WhatsApp;
  • Skype;
  • Zoom.

A gamificação também se tornou mais presente no dia a dia dos alunos e deve se manter após a pandemia, principalmente no ensino híbrido e remoto. É importante dizer que estudiosos apontam que todas essas ferramentas tendem a ser incorporadas no plano de aulas dos professores principalmente por oferecer uma melhor experiência de processo de ensino-aprendizagem dos estudantes, tornando-as mais dinâmicas e motivadoras para os estudantes.

Educação 4.0

O modelo tradicional de aprendizagem com lousa, giz e papel está dando lugar para um novo modelo de ensino transformador na maneira em como os alunos e professores adquirem e transmitem conhecimento. A chamada de Educação 4.0 que tem como conceito principal o uso da tecnologia em sala de aula, tem modificado a experiência de aprendizagem de jovens, crianças e adultos na atual sociedade. Com isso, os professores adotam novos métodos de aprendizado, podendo acontecer por meio de aplicativos, softwares, jogos e principalmente ambientes virtuais inovadores.

De acordo com um estudo recente realizado pela Associação Brasileira de Educação a Distância (Abed), edição especial do CensoEAD.BR, que avaliou o impacto da EAD no ensino presencial na pandemia no país, mostrou que para as instituições de ensino a experiência com o ensino a distância e de que forma isso permitiu dar suporte aos cursos presenciais: quase 75% concede à transferência de conhecimento sobre o uso de tecnologia para os professores.

“Para alguns é um desafio utilizar ferramentas digitais nas aulas presenciais. Mas para outros, uma grande oportunidade para inovar e se adequar a essa nova realidade que surge e tende a crescer daqui para a frente. Esse olhar, portanto, envolve tanto a perspectiva docente, quanto dos estudantes do nosso país”, avalia Carlos Fernando Araújo Júnior, que é Diretor de Relações Nacionais da ABED.

Veja mais conteúdos sobre educação e tecnologia no EducaTech.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *