Volta às aulas contribui para saúde mental das crianças

Volta às aulas saúde mental
Compartilhe esta notícia

Acorda, toma banho, veste o uniforme, toma café da manhã, arruma o material, vai até a escola, encontra os amigos e professores, aprende, brinca. Essa pequena rotina do dia a dia escolar é muito mais que apenas uma forma de disciplinar as crianças. Ela é fundamental para trazer equilíbrio emocional para os pequenos. Por isso, a volta às aulas, além do ponto positivo em relação à saúde mental, precisa ser encarada como um momento cheio de possibilidades de desenvolvimento, não apenas intelectual.

Depois de praticamente dois anos de pandemia, com períodos de maior ou menor distanciamento social, a volta às aulas e esses pequenos hábitos se tornam ainda mais relevantes para a saúde mental das crianças.

“Estar no ambiente da escola é uma oportunidade única para se entender enquanto indivíduo independente e, ao mesmo tempo, integrante de um grupo social”, explica a consultora pedagógica do Sistema de Ensino Aprende Brasil, Veronice Fernandes de Souza.

Para a educadora, é na escola que a criança começa a adquirir habilidades emocionais que serão úteis para o resto da vida. Por exemplo, como ser empática e como lidar com suas próprias emoções e sentimentos.

Volta às aulas: contato com outras crianças é positivo para a saúde mental

Um dos ganhos mais significativos para a saúde mental infantil se dá pela convivência diária com outras crianças da mesma idade. Não é à toa que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) traz, mais de uma vez, essa exigência entre as competências gerais.

Ainda que os professores e a equipe pedagógica sejam os “guias” dos pequenos no caminho do conhecimento, há muitas lições que só podem ser aprendidas quando eles convivem com seus pares.

Voltar para a sala de aula também contribui para reduzir o tempo gasto em frente às telas. Principalmente nos últimos dois anos, muitos estudantes só puderam estudar e se divertir por meio da TV, do computador ou do celular.

Substituir essas atividades por conversas presenciais, exercícios físicos e leituras analógicas é uma necessidade. “Os eletrônicos ajudaram muito nesse período de pandemia, mas geram um excesso de estímulos que traz riscos para a saúde mental até mesmo de adultos, mas ainda mais das crianças”, lembra Veronice.

Rotina é parte de uma vida saudável

Além disso, é muito importante que a criança, desde cedo, tenha horários determinados para as https://www.gulfportpharmacy.com atividades do dia. E isso a escola faz de forma inigualável. Afinal, é preciso acordar na hora certa, respeitar o tempo de aula e desenvolver outros hábitos inerentes à realidade escolar. Tudo isso ensina disciplina e ajuda a educar seres humanos mais conscientes de seu papel na sociedade.

De acordo com Veronice, isso precisa ser levado para fora da sala de aula. Depois que a criança volta da escola, é imprescindível estabelecer uma rotina com horários bem definidos para cada tarefa.

Hora para tomar banho, dormir, comer, fazer o dever de casa, tudo precisa ter a hora certa de ser feito. “Embora, muitas vezes, as crianças resistam aos horários delimitados, essa rotina traz segurança emocional para elas e permite que se tornem mais tranquilas no decorrer do dia a dia”, finaliza.

Veja mais conteúdos sobre educação e tecnologia no EducaTech.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *