Coronavírus leva profissionais a trabalharem em casa

O período de quarenta para evitar a disseminação do novo coronavírus (Covid-19) mudou não apenas a rotina das pessoas, mas das empresas. No intuito de preservar a saúde dos seus colaboradores, muitos estão sendo orientados a adotarem o trabalho remoto, o home office. Mais de 4,5 milhões de brasileiros já adotaram essa prática, segundo o IBGE, e a tendência, em época de pandemia, é que esse número aumente. Aliás, a determinação do Ministério Público do Trabalho em tempos de crise na saúde pública é exatamente a flexibilidade da jornada de trabalho.

Até as empresas de recrutamento e seleção estão mudando a forma de realizarem seus processos seletivos. A Rhopen Consultoria, por exemplo, que atua em Vitória, digitalizou todo o seu procedimento de recrutamento e seleção de candidatos. Segundo a empresa, a ação emergencial visa dar continuidade aos processos seletivos, mesmo em condições de isolamento.

O teste psicológico MAPA, por exemplo, é realizado pela internet, baseado na ciência de dados e reconhecido pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP). “O cenário de pandemia é algo novo para todo mundo, mas encaramos o momento com responsabilidade, criatividade e utilizando a tecnologia a nosso favor”, explica a diretora comercial da Rhopen, Cátia Horsts.

De acordo com o diretor da Michael Page, o consultor Lucas Oggiam, incentivar o home office é uma ótima opção para que a produção da empresa não caia e, ao mesmo tempo, resguardar a integridade física dos funcionários. “Empresas que não vêm o home office como possibilidade devem repensar seu posicionamento. O modelo alternativo de trabalho é fundamental para enfrentarmos situações de instabilidade sem colocarmos a saúde dos profissionais ou as atividades da instituição em risco”, diz.

Para as empresas que ainda estão em dúvidas se liberam ou não seus funcionários para trabalharem em casa, a head de Direito do Trabalho da RGL Advogados, Dra. Flavia Eadi de Castro, explica que tudo deve ser feito de comum acordo, principalmente, no que se refere ao contrato do profissional.

“Estamos vivendo um momento crítico, em que todos estão aflitos e não sabem ao certo como reagir nessa situação. Caso a empresa decida que é o momento de seus colaboradores trabalharem de casa, ela deve fazer um aditamento ao contrato do empregado e comunicá-lo que, a partir de agora, até as medidas serem contidas ele vai passar a trabalhar em home office”, destaca a advogada.

 

O consultor Roberto Vilela alerta para os cuidados ao adotar a modalidade de trabalho home office. Foto: Daniel Zimmermann

Home Office exige disciplina
Trabalhar em casa oferece uma série de vantagens tanto para o empregador como para o empregado: o funcionário tem flexibilidade de horário, pode passar mais tempo com a família, evita o estresse do trânsito, economiza com combustível, pode se alimentar melhor, entre outros benefícios. Contudo, o home office exige uma qualidade que nem todos possuem: disciplina.

Sem a presença do chefe por perto e o olhar fiscalizador dos colegas de trabalho, as distrações dentro de casa podem tornar-se uma verdadeira armadilha para o profissional, principalmente, se houver crianças dentro de casa. A tentação de acordar tarde, de trabalhar de pijama, de não criar uma rotina para cumprir metas podem afundar tanto os resultados da empresa como a carreira do empregado.

“Mesmo estando em casa é importante manter os hábitos comuns do dia a dia. Por exemplo: ter um horário definido para acordar, tomar café, começar a trabalhar” orienta o especialista nas áreas de gestão e estratégias comerciais, Roberto Vilela. Para facilitar a vida de quem pretende trabalhar de forma remota com o home office, Vilela, que também é consultor empresarial e palestrante, deu algumas dicas importantes, confira:

Crie uma rotina de trabalho
Mesmo estando em casa é importante manter os hábitos comuns do dia a dia. Por exemplo: ter um horário definido para acordar, tomar café, começar a trabalhar. Respeitar uma carga horária que não comprometa a qualidade das entregas, com hora para começar e para terminar o dia de trabalho também é importante.

 

Defina metas e prioridades
Assim como na rotina normal de trabalho, no home office é fundamental ter metas e prioridades definidas. Comece a executar sempre as atividades mais complexas e urgentes, evitando assim a procrastinação.

 

O ambiente precisa ser adequado
Se possível, reserve um cômodo ou um espaço da casa que seja exclusivo para trabalho. Um lugar bem arejado e iluminado, com uma boa cadeira, por exemplo, deve ser levado em consideração. Quem costuma ter muitas reuniões deve priorizar ainda um ambiente que o permita se isolar do restante da casa, para que a produtividade não seja impactada pela rotina familiar.

 

Soluções digitais
Com a drástica redução de encontros presenciais, recorrer a plataformas digitais para realizar reuniões e alinhamentos será essencial. Mantenha o contato com a equipe de trabalho, clientes e parceiros. Utilize para isso e-mails, ligações, vídeoconferências e apps de mensagens. O contato frequente entre liderança e equipe, por exemplo, será fundamental para que o trabalho continue. E com estes recursos ele pode ocorrer quase que normalmente.

 

Feedbacks e atualizações
Para empresas que adotaram o home office para toda a equipe, é importante se criar uma rotina semanal ou até mesmo diária de atualização. Uma breve reunião online antes de começar o dia para elencar prioridades, uso de plataformas de gestão para verificar o andamento das ações, reuniões entre líder e colaborador para realização de feedbacks devem ser ações frequentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *