Especialista dá dicas para quem perdeu o emprego na pandemia

Mais de 13 milhões de desempregados no país. Os dados do IBGE mostram, em números, o que muitos brasileiros já têm sentido na prática: o desemprego. E boa parte desses perderam suas atividades exatamente no período da pandemia, quando mais precisam de recursos. Apesar o momento delicado, a ordem é não se desesperar. Para facilitar o processo e ajudar os ex-funcionários a enxergarem o momento da demissão com uma oportunidade e principalmente sem pânico, Fernanda Medei, especialista em RH e fundadora da plataforma de pós-desligamentos, a Medei, dá sete dicas práticas para reorganizar as finanças e retornar ao mercado de trabalho. Confira a seguir:
1 – Faça uma pausa
Ao sair do emprego, é possível fazer uma pausa no dia a dia para esfriar a cabeça e repensar suas metas profissionais. É isso mesmo que quero ou apenas estou seguindo por inércia? Quero continuar fazendo o que faço ou quero algo novo? Faça uma pausa, se dê alguns dias para pensar nas suas vontades e como isso se coloca em sua vida profissional.

2 – Organize suas finanças
Uma demissão pode desestabilizar a sua saúde financeira. Por isso, coloque na ponta do lápis todos os gastos, veja o que está sendo pago à prazo e como estão as suas reservas, incluindo as rescisões se tiver. Com isso bem claro, é possível estabelecer uma escala de importância, eliminar supérfluos e evitar endividamentos.

3 – Não faça novas dívidas
Para organizar as finanças, é preciso diminuir o consumo para evitar novas dívidas. Nesse momento, é importante estabelecer prioridades e não comprar parcelado. A aquisição de alguns bens de consumo podem ficar para depois e isso fará toda a diferença para o processo. Comprometer-se com o objetivo é o segredo para o sucesso.

4 – Redesenhe a carreira
Mesmo de prontidão para o mercado é importante ter as metas à vista. Estabeleça onde quer chegar e trace metas, de aprendizado, de contatos profissionais da sua área ou da nova, com recrutadores ou envio de currículos. Tudo isso irá ajudá-lo a se manter motivado.

5 – Faça networking
Não tenha vergonha de falar para todos conhecidos que está buscando uma colocação. Aproveite para deixar claro quais são as suas intenções, mesmo que tenha um salário aquém do que recebia – as finanças organizadas ajudam nesse momento. Entre em contato com colegas e outras pessoas que possam vir a ser diferenciais para a sua vida profissional, vá a reuniões e se abra para novas oportunidades.

6 – Atualize seu currículo
Durante a vida profissional, nós acumulamos novas experiências, sem contar os softwares e soft skills – habilidades que podem ser transferidas independentemente da sua ocupação. Liste tudo de novo que aprendeu e desenvolveu ao longo dos anos, especialmente nos dois últimos. Atualize seu currículo com novas informações, procure os novos formatos de CV no mercado e adeque seu perfil no LinkedIN.

7. Vá atrás de novos conhecimentos
Por último, vá atrás de novos conhecimentos. Há sempre algo novo para aprender e isso pode ajudar a mudar sua relação com o dinheiro. Faça cursos sobre planejamento financeiro ou sobre investimentos. Tire um pouco do seu tempo para buscar informações, aprender, ler notícias e estudar. A educação financeira tem uma importância que merece ser ressaltada. Ela é fundamental para garantir segurança e conforto à sua família e traz inúmeros benefícios. Além de manter suas contas em dia, você terá mais tranquilidade e liberdade para planejar um futuro feliz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *