5G, entenda como ela mudará a nossa vida!

Vamos entender melhor o que é essa tão badalada 5G?

O 5G é o próximo passo para a banda larga sem fio, vai melhorar e muito as nossas vidas! Colocando a banda larga móvel em altíssimos padrões de velocidade de conexão. A rede 5G irá promover uma cobertura mais ampla e eficiente com maiores taxas transferências de dados.

A rede 4G utilizada atualmente é capaz de entregar uma velocidade média de conexão de aproximadamente 43 Mbps. A estimativa é que a rede 5G seja capaz de entregar velocidades 50 a 100 vezes maiores, podendo alcançar até 10 Gbps – giga bytes por segundo.

A rede 5G funciona por meio de ondas de rádio, assim como as redes móveis das gerações anteriores. A cobertura será maior que as anteriores 2G, 3G e 4G, bem maior!!! A tecnologia será 100 vezes mais rápida que o 4G, isso mesmo, cem vezes mais. Será capaz de conectar todas as coisas e transformar o nosso dia a dia, conhecida como Internet das Coisas ou IoT – Internet of Things.

Será um grande avanço em relação à rede 4G, e vem sendo desenvolvida para comportar o crescente volume de informações trocadas diariamente por bilhões de dispositivos espalhados mundo a fora.

O que será possível com a rede 5G?

  1. A quantidade de aparelhos conectados por área devem ser 50 a 100 vezes maior;
  2. O tempo de conexão entre aparelhos móveis deve ser inferiores a 5ms – milissegundos;
  3. O tempo de latência será reduzido e possibilitará a comunicação entre veículos autônomos, permitirá o desenvolvimento de sistemas de segurança, além de possibilitar a realização de cirurgias remotas por meio de robôs, entre um monte de outras coisas.

O aumento do número de aparelhos conectados possibilitará uma ampliação da tendência mundial, a Internet das Coisas, como por exemplo:

  1. melhorar sistemas de iluminação pública e residencial;
  2. interação com eletrodomésticos;
  3. dispositivos de monitoramento;
  4. sensores de presença;
  5. centrais de segurança;
  6. guichês de estacionamentos;
  7. caixas de supermercados;
  8. sensores meteorológicos;
  9. veículos autônomos e muitos outros dispositivos poderão conectar-se por meio do uso do 5G.

Veja que legal, teremos videochamadas em alta definição, experiência de jogos on-line fantásticas, sem falar nas transmissões de vídeo ao vivo que provavelmente não irão travar.

Serão inúmeras possibilidades, cada vez mais inteligentes e conectadas para residências, ruas, hospitais, comércios e indústrias. A nossa geladeira, por exemplo, poderá ser programada para avisar quando algum produto estiver acabando. A conexão com a internet das coisas tornará possível para que ela (uma vez programada) compre remotamente o produto em falta, se assim você desejar. Sensacional não é verdade?!?!

Dificilmente iremos perder o sinal de internet em meio a uma multidão, como em um estádio de futebol ou em um grande show.

O pequeno tempo de latência, quero dizer a quantidade de atraso em que uma solicitação leva para ser transferida de um ponto para outro, permitirá uma comunicação extremamente rápida entre os aparelhos.

Quando poderemos usar a rede 5G?

A Anatel realizou ontem (04) o leilão do 5G, várias empresas participaram, entre elas Claro, Vivo e TIM. Foram leiloadas 4 faixas de frequência, divididas em lotes nacionais e regiões. Claro, Vivo e TIM arrematam a faixa de 3,5 GHz, considerada a principal do leilão. A Winity II Telecom ficou com a faixa de 700 MHz.

O Serviço de 5G deve ser oferecido pelas operadoras até julho de 2022, começando pelas capitais. Provavelmente o pleno funcionamento ocorra por volta de 2025, pelo menos nas principais capitais.

Mas então o que é esse 5G que as operadoras estão oferecendo?

Algumas operadoras estão divulgando propagandas sobre o 5G, mas não é o 5G oficialmente falando, ou melhor, tecnicamente falando. A tecnologia oferecida atualmente é um nível digamos que intermediário, o chamado 5G DSS – Compartilhamento Dinâmico de Espectro, funciona como uma transição entre a quarta e a quinta geração da rede.

5G e 5G DSS são a mesma coisa?

O padrão do 5G DSS é o mesmo do 5G, ambos são NR – New Radio. No entanto, a tecnologia de espectro dinâmico entrega uma experiência diferente entre 5G e 5G DSS. Por conta do espectro dedicado, o 5G consegue entregar velocidades superiores ao 5G DSS, e por isso é considerado como o “5G verdadeiro”.

Como funciona a rede 5G?

A rede 5G funciona por meio de ondas de rádio, assim como as outras redes móveis. A banda larga 5G é muito maior, distribuída entre 600 e 700 MHz, 26 e 28 Ghz e 38 e 42 GHz. As antenas da rede 5G serão adaptadas às antenas já existentes das operadoras, que serão preparadas para funcionar em paralelo com a nova infraestrutura de conexões. Antenas menores com alcance de poucos metros, como as domésticas, poderão ser instaladas para repetir o sinal dos dispositivos locais.

Além disso, um mecanismo inteligente das antenas 5G será responsável por focalizar o sinal de rádio em vez de emiti-lo para todas as direções. A direção do foco, por sua vez, será determinada pela demanda de dispositivos que requisitarem conexão com a rede, otimizando a capacidade de cada antena.

Quais dispositivos utilizarão a rede 5G?

Como toda tecnologia nova, os aparelhos compatíveis com o sinal 5G possuem preços um pouco salgados, e com o passar do tempo ficarão mais baratos. Os primeiros dispositivos que usarão de forma plena as redes 5G serão os smarthphones e na medida em que o custo de fabricação for diminuindo, outros dispositivos, como eletrodomésticos, pulseiras e relógios inteligentes, por exemplo, poderão conectar-se à rede. A tendência é que o 5G possa, em um futuro próximo, substituir até mesmo as redes residenciais de Wi-Fi.

Quanto custará o acesso à rede 5G?

O valor pode variar de região para região e de operadora para operadora. As operadoras geralmente não oferecem acesso exclusivo a um tipo de tecnologia de rede, mas cobram pela franquia de dados utilizada.

As empresas ainda não definiram se haverá reajustes nos preços de pacotes de dados, pois ainda vão levar meses até que a tecnologia esteja de fato disponível. O acesso ao 5G deve ser mais restrito no início por dois motivos: uma cobertura menor, primeiramente centrada nas capitais e a compatibilidade de aparelhos que atualmente são os mais caros do mercado.

Mas o celular que tenho, vou ter que comprar um novo? Compatível?

Respondo com um sonoro SIM! Será preciso ter um celular compatível com a tecnologia 5G. Dentre os que já são vendidos no Brasil a maioria são modelos mais sofisticados, como o iPhone 13 e o Galaxy S21, na faixa dos R$ 6 mil ou mais. Há outros modelos menos potentes à venda, como o Samsung Galaxy A32 5G e o Motorola moto G 50 5G, na faixa dos R$ 2 mil. Com o tempo, a tendência é que todos incorporem a compatibilidade, assim como aconteceu com o 4G.

Então a rede 4G vai acabar?

Não! Os celulares atuais continuarão funcionando nas redes 2G, 3G e 4G – essas conexões provavelmente não deixarão de funcionar.

Vamos atualizar você com o significado de algumas siglas nesse turbilhão de informações Internet a fora: Mbps, Gbps, MHz, GHz e ERB

  • Hz: hertz, é a unidade de medida de frequência de ondas e equivale a um ciclo por segundo;
  • MHz: megahertz, representa 1 milhão de hertz – 1 milhão de ciclos por segundo;
  • GHz: gigahertz, representa 1 bilhão de hertz – 1 bilhão de ciclos por segundo;
  • Bps: bits por segundo, é a menor unidade medida de transmissão de dados por segundo;
  • Mbps: megabits por segundo, representa 1 milhão de bits por segundo;
  • Gbps: gigabits por segundo, representa 1 bilhão de bits por segundo;
  • ERB: Estações Radio Base ou ERBs são equipamentos que fazem a conexão entre os telefones celulares e a companhia telefônica ou mais precisamente a uma Central de Comutação e Controle.

Quando a cidade ou região que moro vai receber o 5G?

A Anatel disponibilizou um cronograma para instalação das estações rádio base (ERB) ou melhor, as antenas. Com o passar do tempo, na prática, é isso que irá garantir a cobertura de sinal 5G na sua região, acompanhe:

  • 31 de julho de 2022: capitais tendo uma ERB a cada 100 mil habitantes;
  • 31 de julho de 2023: capitais tendo uma ERB a cada 50 mil habitantes;
    31 de julho de 2024: capitais tendo uma ERB a cada 30 mil habitantes;
  • 31 de julho de 2025: capitais e cidades com mais de 500 mil habitantes tendo uma ERB a cada 10 mil habitantes;
  • 31 de julho de 2026: cidades com mais de 200 mil habitantes tendo uma ERB a cada 15 mil habitantes;
  • 31 de julho de 2027: cidades com mais de 100 mil habitantes tendo uma ERB a cada 15 mil habitantes;
  • 31 de julho de 2028: pelo menos 50% das cidades com mais de 30 mil habitantes tendo uma ERB a cada 15 mil habitantes;
  • 31 de julho de 2029: todas as cidades com mais de 30 mil habitantes tendo uma ERB a cada 15 mil habitantes.

Nos municípios com até 30 mil habitantes. Veja o cronograma para estas cidades:

  • 31 de dezembro de 2026: 30% dos municípios com até 30 mil habitantes;
  • 31 de dezembro de 2027: 60% dos municípios com até 30 mil habitantes;
  • 31 de dezembro de 2028: 90% dos municípios com até 30 mil habitantes;
  • 31 de dezembro de 2029: 100% dos municípios com até 30 mil habitantes.

Bom, é isso aí, vamos manter nosso RADAR ativo por aqui e manter você sempre informado(a) sobre os avanços do 5G em nossa região.

Forte abraço!

Jackson Galvani

Instagram: @jackson.galvani

2 Respostas para “5G, entenda como ela mudará a nossa vida!

  1. e o tempo que avança, mas os nossos problemas são as operadoras com jogos de esperteza, o gerente da vivo disse, “você foi enganado em uma lojinha da vivo de supermercado”. os políticos vendem tudo, venderam toda orla marítima, estão vendendo o mar, acabaram com a fauna e arranjaram um monte de problema com o mar dando prejuízos as prefeituras e aos estados. agora estão vendendo as ondas magnéticas haja g para botar. nosso problema são a cias que operam desonestamente, e ficam sem condições administrativas, amparadas pelo nosso congresso com leis direcionadas. aqui onde moro o prefeito e cia venderam as ruas para fazer zona boemia e cracolândias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *