Cenários e Conversação Estratégica: ferramenta para líderes

IMG-20150715-WA0014 - CopiaIniciar um pequeno negócio envolve muitas das mesmas perguntas críticas de longo prazo que faríamos se fôssemos iniciar um novo empreendimento numa grande empresa. Apesar de os cenários serem usados pela maior parte das grandes empesas, os pequenos e médios negócios são mais vulneráveis aos tipos de surpresas e incertezas que muitas vezes alteram os planos das grandes empresas. O que os futuros clientes desejarão? O que acontecerá com os custos, com a tecnologia, com sistemas de distribuição, fatores regulatórios, câmbio e taxas de juros, e assim por diante?

Buscar respostas para estas questões envolve utilizar-se de ferramenta de conversação estratégica – processo organizado para pensar o negócio, para desenvolver a ideia de negócio, para criar e inovar.

Os gestores estão continuamente envolvidos numa discussão coletiva a respeito da estrutura de seu negócio e de como ela está mudando. Buscam novas informações e sempre trazem questões envolvendo crises ou oportunidades.

O sucesso nos negócios não pode ser codificado, mas requer uma criação original das pessoas envolvidas em seus contextos. Isso significa que o recurso que o líder precisa mobilizar é o poder cerebral de seus funcionários, das suas redes e das suas aptidões de observação. Isto é, engajar-se em um processo para abrir espaço às ideias e à aprendizagem. Através da conversação é que esses espaços são criados e organizados.

Os gestores serão mais eficientes na conversação se esta for construída ao redor de método de cenários, que sistematicamente aumenta a compreensão das pessoas sobre seu ambiente e sobre as percepções de outros atores. Inclusive, o método da conversação é uma das principais ferramentas da liderança para conduzir cenários e manter em ebulição pensamentos criativos nos grupos.

Com base em Peter Schwartz (A arte da visão de longo prazo), segue um conjunto de iniciativas para projetar um processo de conversação estratégica, baseada no método de cenário:

1 – Crie um ambiente com hospitalidade de ideias
2 – Estabeleça um grupo incluindo as principais lideranças e pessoas com diferentes experiências
3 – Organize informações e inclua pessoas de fora
4 – Olhe à frente muito antes de tomar decisões
5 – Examine o presente e o passado
6 – Conduza o trabalho de cenários com pequenos grupos
7 – Deixe a conversa fluir: evite ser “o advogado do diabo”
8 – Vivencie o processo da conversação continuamente
9 – A questão da identidade: cuidado com o futuro oficial


Rogério Antonio Monteiro é Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Graduação em Administração pela Universidade Federal do Espírito Santo.
Atividades: Professor do Mestrado Profissional em Gestão da UFES.
Especialidades: Estratégia e Marketing.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *