McDonald’s amplia atuação de franquia no Espírito Santo

Presente no Espírito Santo há 30 anos, o McDonald’s passa a ter todos os restaurantes da Região Metropolitana operados pela franquia do empresário Marco Correia. O empresário paulista, que desde abril de 2017 administra nove unidades em Vitória e Vila Velha, assumiu também, a partir de setembro, a operação dos estabelecimentos localizados em Guarapari, Cariacica e Serra.  Com a ampliação da operação, a empresa acrescenta 100 novos postos de trabalho ao seu efetivo. Deste total, 40 correspondem a novas vagas preenchidas para reforçar a operação das três unidades recém-assumidas. Todos os restaurantes da Região Metropolitana passaram a ser operados pelo franqueado Marco Correia                                                                                                                            Atualmente, o McDonald’s gera 580 postos de trabalho nas unidades operadas pelo franqueado no Espírito Santo. Uma das melhorias implementadas pela administração foi o funcionamento 24 horas nos restaurantes de rua (fora de shoppings) localizados em Vitória, o que demandou a adequação dos turnos de trabalho e gerou novos empregos. A relação do empresário Marco Correia com o Espírito Santo começou em abril de 2017, quando assumiu a administração de nove unidades do McDonald’s em Vitória e Vila Velha. Sua relação com a rede, entretanto, já tem 18 anos. Antes de chegar ao estado capixaba ele era responsável pela administração do restaurante do bairro do Pari, em São Paulo. Além dele, todos os integrantes de sua família atuam na franquia.

Adriane Galisteu estrela campanha da ZEISS no Brasil                                                                  A ZEISS, líder mundial em tecnologia do setor de óptica e optoeletrônica, lança campanha no Brasil para debater os perigos da radiação ultravioleta e como ela pode estimular o envelhecimento precoce da pele e acelerar o surgimento da catarata. Estrelada pela atriz e apresentadora Adriane Galisteu, a campanha UVProtect: Você com a verdadeira proteção UV reforça que as lentes ZEISS são as únicas que oferecem total proteção contra os raios UV e que o consumidor não paga nada a mais por isso.
Filme faz a conscientização sobre os perigos da radiação UV                                                    “É muito gratificante estrelar a campanha de uma marca que é reconhecida no mundo todo pela qualidade e tecnologia de seus produtos”, afirma Galisteu. “Além de oferecer proteção máxima contra os raios do sol, a diferença na imagem é tão grande que depois de experimentar lentes ZEISS você não consegue voltar atrás. É algo como assistir à TV analógica depois de ser apresentada à tecnologia 4K Ultra HD. É simplesmente inviável”, completa.
Presente em todo o portfólio ZEISS, a tecnologia UVProtect™ eleva o padrão de cuidado com a visão ao oferecer proteção total de até 400 nm contra os raios UV, número que supera em 20 nm o estabelecido (380nm) pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) como o ideal de proteção. As lentes com UVProtect™ têm ainda proteção na parte interna por meio do tratamento antirreflexo DuraVision®, garantindo assim um bloqueio completo e em 360 graus.
Proteção contra os raios UV sem nenhuma custo adicional                                                  “Hoje as pessoas já sabem que a exposição prolongada aos raios do sol pode trazer sérios danos para a nossa pele, mas pouco é falado sobre os efeitos nocivos da radiação UV e como ela pode comprometer a saúde dos olhos e a área ao seu redor”, afirma Marcelo Frias, Diretor de Marketing da ZEISS Vision Care no Brasil e América Latina. “Queremos aprofundar essa discussão mostrando ao consumidor que a ZEISS oferece máxima proteção contra os raios UV, sem nenhum custo adicional”, completa o executivo.

 

Agência Side3 assina a campanha da ZEISS                                                                            Assinada pela agência Side3, a campanha será veiculada em canais fechados e mídia digital. Como parte da iniciativa, os clientes que fizerem a compra das lentes ZEISS até o dia 15 de novembro, serão presenteados com o segundo par grátis. Para isso, basta preencher o formulário no site https://zeissolharesdomundo.com.br/campanha/uvprotect e apresentar o voucher em uma unidade licenciada da ZEISS Vision Center ou loja autorizada.
“Em um mercado pautado na necessidade do consumidor e, ao mesmo tempo, na sua falta de conhecimento sobre o segmento óptico, temos a missão de transmitir a mensagem de forma clara e assertiva”, afirma Henrique Roisin Guimarães, Head de Estratégia da Side3. “Com este intuito, a campanha dá voz à Adriane Galisteu para desmistificar o mercado e reforçar um ponto fundamental: o cuidado com a saúde ocular”, completa. 

Veja o filme: https://www.youtube.com/watch?v=9IBPH5oZwkQ

 

Instituto João XXIII: conheça a entidade ajudada nesta edição da ES Restaurant Week          A preocupação social faz parte da história da Restaurant Week no Brasil. Desde a sua criação, o festival gastronômico pede o acréscimo de R$ 1 ao valor de cada menu vendido para ser direcionado a uma instituição. Este ano as doações irão para o Instituto João XXIII, que atua há 19 anos em Vitória. A entidade apoia crianças e adolescentes de 7 a 17 anos residentes do bairro Consolação e de 25 comunidades em seu entorno. O objetivo é contribuir para a transformação de vidas por meio e projetos nas áreas de esportes, música e cultura. “O João XXIII contribui com a formação de crianças e adolescentes, para que se tornem cidadão no sentido mais amplo e profundo desse conceito”, afirma a presidente do Instituto, Adriana Giuberti Bergi. O Instituto João XXIII também oferece oficinas e cursos de qualificação profissional para adultos, fortalecendo seu compromisso com a cidadania e o desenvolvimento humano. Em 2018, foram atendidas 232 crianças e adolescentes em dez atividades nas áreas de esporte, música, cultura e bem-estar. Além disso, 550 pessoas da comunidade participaram de cursos de qualificação profissional e desenvolvimento humano, todos eles integralmente gratuitos.Sobre a 18ª edição da ES Restaurant Week                                                                                “Do campo à mesa” é o tema da 18ª edição da Espírito Santo Restaurant Week. O festival que reúne menus completos a preços fixos começou no dia 13 de setembro e segue até 6 de outubro. Nesta edição participam trinta e um restaurantes de Vitória, Vila Velha, Serra, Guarapari e Anchieta. No Menu Convencional o almoço custa R$ 43,90 e o jantar R$ 54,90. O Menu Plus com menus mais elaborados sai a R$ 55 no almoço e R$ 68 no jantar. Todas as opções contemplam três etapas: entrada, prato principal e sobremesa.

 

 

Evento no ES destaca como felicidade pode aumentar o lucro das empresas                      Em um século em que a ansiedade já é “velha amiga” de colaboradores de empresas, ser calmaria em meio à tempestade pode ser uma vantagem competitiva. E é sobre como aplicar o conceito de felicidade no trabalho, como um diferencial para que empresas lucrem mais, é que o Fórum Temático 2019 do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Espírito Santo (IBEF), trará como destaque para que empresários capixabas saiam à frente. Pela primeira vez no ES um evento dessa magnitude sobre o tema, de acordo com a organização. As inscrições já estão abertas e a ação acontece em 24 de outubro e 20 de novembro, em Vitória. 

Muito mais do que um estilo de vida, a felicidade pode ser um método poderoso para empresários                                                                                                                                  Segundo Flávia Veiga, (foto) vice-presidente do IBEF, criar uma sociedade feliz é uma questão econômica, ética, social e de saúde pública. “Existem milhares de pesquisas, entre elas artigos e livros, sobre os benefícios da felicidade. Todas mostram que pessoas mais felizes são mais resilientes, produtivas, criativas, engajadas, generosas, bondosas, ganham mais, têm melhores casamentos, são mais saudáveis e vivem até dez anos mais, é o que comprovou uma pesquisa da empresa brasileira CVA Solutions. Ou seja, não é o sucesso que traz a felicidade, é a felicidade que traz o sucesso”, destaca.

Palestrantes nacionais vêm ao ES para tratar sobre a temática                                            João Pacífico, fundador do Grupo Gaia, que concilia temas como prazer em família, desafios profissionais e trabalho social com a ONG Gaia+. Lorena Porto, diretora-executiva do Hospital Anchieta (DF) e, que, a partir da adoção do indicador da Felicidade Interna Bruta, embasado no estudo da Ciência da Felicidade, motivou colaboradores e parceiros, aumentando os resultados. Benedito Nunes Rosa, sócio-fundador no Instituto Movimento pela Felicidade, professor e pesquisador sobre Ciência da Felicidade e Bem-estar. Desenvolveu em parceria com outros especialistas o Modelo IMF de Felicidade, Bem-Estar & Engajamento no Trabalho.

Carla Furtado, precursora no Brasil de ações, programas e cursos de promoção da felicidade pessoal e corporativa pautados pela Psicologia Positiva, pela Neurociência e pelo sistema Felicidade Interna Bruta (FIB) – reconhecido pela ONU como novo paradigma de desenvolvimento. Atua em prol do florescimento humano e de sistemas organizacionais. É, também, diretora do Instituto Feliciência.

Gustavo Arns, idealizador do Congresso Internacional de Felicidade durante o primeiro dia da segunda edição, realizada na Ópera de Arame, em Curitiba. Está à frente do Canal da Felicidade.

Andrea Perez, é membro-Fundadora do Instituto Brasileiro de Psicologia Positiva – IBRPP; professora de pós-graduação convidada do IPOG e da Escola de Heróis; palestrante dos temas Felicidade Agora é Ciência e Inquérito Apreciativo; crítica editorial; idealizadora e organizadora do projeto Coletânea Biblioteca Positiva juntamente com a Editora Leader; especialista em Psicologia Positiva Uma Integração com o Coaching. Coautora dos livros sobre o tema.

Angelita Scardua, psicóloga, mestre e doutoranda pela USP (SP). Especializada em Desenvolvimento de adultos, na experiência de Felicidade e nos estudos da Psicologia Social.

Maria Rita Sales Régis, psicóloga, doutoranda Psicologia UFES, Mestre em Psicologia (UFRRJ) e Mestre em Criatividade Aplicada-UCES/Espanha. Especialista em Psicologia organizacional, Psicoterapia Vivencial, Arteterapia, Políticas Públicas e Psicologia Analítica. Atua como docente terceiro grau e especializações, facilitadora em Treinamentos para Desenvolvimento, Projetos em Recursos Humanos para empresas privadas e Pesquisa na UFES. Articulista mídia digital e impressa, Escritora com Artigos e livros publicados. Diretora da Design Gente Consultoria.

 

Mulheres quilombolas e indígenas na Praça do Papa                                                    Indígenas, quilombolas e descendentes europeias são algumas das diversidades presentes na 1ª Feira Estadual das Mulheres Trabalhadoras Rurais (Femtru-ES), que acontece entre os dias 04 e 06 de outubro. A reunião da força e habilidade feminina rural acontecerá em Vitória durante a 14º Feira da Agricultura Familiar e Reforma Agrária do Espírito Santo (Feafes), promovida pela Federação dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Espírito Santo (Fetaes). O evento é gratuito e reúne mulheres artesãs, agriculturas familiares, doceiras e outras trabalhadoras de todo o estado que levarão os talentos e delícias do interior para a capital, na Praça do Papa.
Visibilidade das mulheres quilombolas                                                                                      Como mulher, quilombola e agricultora familiar, Kátia Penha afirma que a Feafes é um importante espaço de visibilidade dos alimentos agroecológicos produzidos nos quintais e roças das famílias quilombolas. Para este ano, são sete mulheres que vão levar do quilombo Divino Espírito Santo, em São Mateus, produtos derivados da mandioca como farinhas, bijus e biscoitos. Kátia, que é diretora nacional da Coordenação Nacional das Comunidades Quilombolas Rurais (Conac), afirma ainda que o trabalho desenvolvido pelo quilombo, a fim de garantir subsistência e renda com a comercialização, tem a preocupação com a preservação ambiental. “Utilizamos nosso território, quintais e roças para produzir alimentos saudáveis, sem agrotóxicos, preservando o meio ambiente e garantindo qualidade de vida às futuras gerações”, ressaltou. Além de aipim, outros alimentos agroecológicos como coco, abóbora e laranja que são produzidos no quilombo, serão expostos na feira. “Vamos levar o alimento que já chega na casa das famílias da cidade, e, mais do que isso, mostrar que são produzidos com muito carinho para uma vida saudável. Viver no campo produzindo e nos sustentando é o nosso orgulho que queremos mostrar”, destacou Kátia. Indígena, agricultora familiar e artesã                                                                                            As mãos habilidosas da líder indígena e artesã Josy Pereira Ferreira, produzem bolsas de cipó, cestos, peças decorativas de madeira, pilão e artigos indígenas como o arco e flecha. A habilidade de Josy também está no trabalho com a terra, na Aldeia do Areal, em Aracruz, onde mora com o esposo Fábio Rocha de Jesus e mais quatro filhos. A família, que vive da agricultura familiar, cultiva hortaliças orgânicas, pimenta do reino, raízes e outros alimentos. Para esta edição da Femtru-ES + Feafes, três indígenas tupiniquins e duas guaranis, levarão suas artes para serem apreciadas, sendo todas elas de Aracruz. “Participamos desde a primeira edição da feira e lá conseguimos uma boa oportunidade de aumentar a renda e contribuir para o sustento de nossas famílias”, disse. Mulheres agricultoras familiares                                                                                                      De São Roque do Canaã, onde predomina a cultura alemã e italiana, a agricultora rural Joyce Zanetti trará os “Produtos Caseiros da Tia Zê”, que são goiabadas cascão, pães e biscoitos. O doce, que é o carro-chefe da produção, é feito com as goiabadas cultivadas no sítio de sua família. Outras mulheres da região também fazem a produção de alimentos com a matéria-prima que vem da agricultura familiar. “Têm famílias que cultivam cacau e com ele é feito o doce de cacau. Uma outra amiga faz doce de leite com o leite produzido no próprio sítio. Essa produção traz uma renda extra, muito importante para a família, principalmente quando a safra dos alimentos não é boa, nas secas, por exemplo”, disse Joyce. Associação de Agricultoras Familiares Mulheres Canaã                                                                Os talentos femininos da cozinha típica rural foram tão bem reconhecidos na região que foi criada a Associação de Agricultoras Familiares Mulheres Canaã, há cerca de três anos. Desde então, os produtos feitos por elas têm ganhado espaço em grandes feiras como a Feafes. “Sem os parceiros como a Fetaes, que incentivam as nossas participações na feira, não conseguiríamos levar o nosso trabalho para tanta gente diferente. Nós percebemos que as pessoas estão valorizando cada vez mais o que é do campo e, principalmente, o que é feito por nós mulheres”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *